A Presença de Mulheres na Genealogia de IAURRÚSHUA

 
 
 
É com grande alegria que postamos mais um estudo em nosso site, estudo esse voltado para uma abordagem na qual é nitidamente mostrado a misericórdia do IÁURRU, O qual NÃO faz acepção de pessoas. O qual opera segundo a eficácia da sua justiça e, do seu ohav.
 
Nessa postagem estaremos abordando a participação das mulheres na genealogia de IAURRÚSHUA. Abordar esse tema, além de prazeroso, leva-nos a verificarmos o seguinte: o que para o mundo é loucura, é vil, é pequeno, é imperceptível, para IÁURRU é o meio pelo qual ELE opera suas maravilhas. É o meio pelo qual ELE abre caminho para uma sucessão de conquistas, de vitória, de Paz, de Vida, de Luz e, Salvação.
 
Através desse estudo, podemos verificar que ao contrário do que muitos pensam e, apregoam, o papel da mulher NÃO é inferior ao do homem, nem superior ao deste, mas ao colocar-se como MENOR, ou seja, como quem se coloca debaixo da autoridade daquele que ela vê como MAIOR, manifesta o que aos olhos do IÁURRU lhe é agradável, a saber: submissão, obediência, dependência. E do homem, o que se espera é o mesmo cuidado, o mesmo ohav, a mesma atenção, o mesmo zelo, a mesma paciência, a mesma misericórdia, a mesma justiça com que Merrushirrái IAURRÚSHUA tem manifestado para com a sua Oholyao.
 
Que tenhamos em mente o seguinte: Para IÁURRU não existe o SUPERIOR e/ou INFERIOR, aos seus olhos o que ELE vê com bom agrado, é a pré disposição que o indivíduo manifesta em fazer a sua vontade.
 
Em um outro estudo postado em nosso site, abordamos acerca da genealogia de IAURRÚSHUA e, sugerimos que o acessem para compreenderem melhor, o estudo aqui postado.
 
De acordo com as Escrituras, 4 (quatro) mulheres embora o nome de todas elas não se faça presente na genealogia, como no caso de Bate-Seba, mas subentende-se por inferência textual a presença dela, o que podemos perceber é que através delas, nasceram aqueles de cuja descendência sairia a Luz para as Nações, a saber: IAURRÚSHUA hol Merrushirrái.
 
À medida que formos abordando a respeito de cada uma delas, será possível observarmos o quanto a emunah, a sabedoria, a humildade e, a submissão levaram essas mulheres a trazerem no ventre aqueles do qual viria a promessa da salvação e , vida eterna. Mulheres que enfrentaram desafios impostos ao sexo feminino, mulheres que choraram, mulheres de vida difícil, mulheres que tiveram de suportar conflitos familiares, mas que conseguiram vencer cada desafio pela emunah(fé).
 
Para falarmos da presença feminina na genealogia de IAURRÚSHUA, faremos uso da genealogia descrita por Manyaohu. Diante disso, antes de abordarmos esse estudo, atentem-se para o quadro abaixo:
 

Vejamos o texo abaixo:

Manyaohu 1: 6 "Livro da Genealogia de IAURRÚSHUA Merrushirrái, filho de Daoud, filho de Abruhan. Abruhan gerou a Isaque; Isaque, Jacó; Jacó, a Yaohudah e a seus irmãos; Yaohudaha gerou de TAMAR a Perez e a Zera; Perez gerou Esrom;Esrom, a Arão; Arão gerou a Aminadabe; Aminadabe, a Naassom; Naassom, a Salmom; Salmom gerou de RAABE a Boaz; este, de RUTE, gerou a Obede; e Obede, a Jessé; Jessé gerou o Rei Daoud; e o Rei Daoud, a Salomão, da qual fora MULHER de Urias. "

 

Quadro da Genealogia descrita por Manyaohu 1:1-17

 

 
 
Agora que já visualizaram o quadro acima, fazendo uso do livro de Manyaohu 1:1-16, perguntemo-nos o seguinte: Que mulheres são essas, as quais fazem parte da genealogia de IAURRÚSHIA? A resposta a essa pergunta é: Tamar, Raabe, Rute e, Bete-Seba.
 
 
QUEM FOI TAMAR ?
 
 
 
Conhecer a história de Tamar, levar-nos-á não apenas ao conhecimento acerca de sua pessoa, mas também tomarmos o conhecimento de como ela passou a fazer parte da genealogia de IAURRÚSHUA.
 
A história de Tamar está registrada no Livro de Bereshit (Gn)38:1-30
 
Dentre as suas qualidades, podemos citar a inteligência, da qual não se esquivou em fazer uso, para dar continuidade na descendência de seu esposo, mas como ela conseguiria tal êxito, sendo que o mesmo morrera deixando-a sem filhos?
 
De acordo com o costume da época, quando a mulher ficava viúva e sem filhos, para dar continuidade a descendência do marido, ela deveria se casar com o irmão deste. E assim foi feito, mas Onã, irmão de seu falecido esposo, não exercia tal função conforme de costume, o que desagradou a ULRRIM. Em decorrência disso, foi fulminado por ULRRIM. Gn 8:8-10
 
Com receio de perder o terceiro filho (Selá), Yaohudah o impediu de se casar com a cunhada (Gn 38:11), cabendo a esta, retornar para a casa de seu pai. Ao tomar conhecimento que seu sogro subia a Timna, Tamar se disfarçou de prostituta e, assentou-se na estrada de Enaim, no caminho de Timna. Quem poderia imaginar que uma mulher nas condições de Tamar, faria uso de tal "estratégia" para fazer cumprir um costume e/ou tradição? De trazer em seu ventre a semente que daria continuidade a descendência de seu falecido esposo? Pois foi alí, sentada à beira da estrada, que Tamar colocou em ação o seu plano e, disfarçada de prostituta, não foi reconhecida por seu sogro Yaohudah, o qual acabou se deitando com ela.
 
Na expectativa de ser bem sucedida em seu plano,Tamar pediu como garantia o cajado, o selo e, o cordão de seu sogro, os quais serviriam de prova quando se confirmasse a gravidez. E assim foi. Tamar deu a luz doi filhos gêmeos: Farés e Zará. De Farés nasceu Erom e, de Erom nasceu Arão. De  Arão nasceu Aminadabe e, de Aminadabe nasceu Nasom e, de Nasom nasceu Salmon . Ler Manyaohu(Mt) 1:3-4
 
 
 
QUEM FOI RAABE?
 
 
 
 
A história de Raabe está registrada no livro IAURRÚSHUA(corrompido para Josué) 2:1-24; 6:22-27
 
IAURRÚSHUA, filho de Num, ao enviar secretamente dois homens como espias para reconhecerem a terra, principalmente Jericó, estes encontraram abrigo na casa de uma prostituta chamada Raabe. Js 2:1
Ao tomar conhecimento da presença de espias, filhos de Yaoshorul, o rei de Jericó, cidade cituada em Canaã, ordenou que Raabe os colocasse pra fora, afim de prendê-los, mas ela, ao contrário do que lhe fora ordenado pelo rei, decidiu  escondê-los entre as canas do linho que pusera em ordem sobre o eirado. E assim fez, por ter conhecimento do ULRRIM de Yaoshorul, sabia que a terra que eles espiavam, era promessa do IÁURRU para o seu povo Yaoshorul, por ter ouvido falar de seus feitos em favor de seu povo, quando os retirou do Egito. Ela ouvira falar que IÁURRU abriu o Mar Vermelho para que seu povo o atravessasse em segurança, fechando-o em seguida, afogando o exército de Faraó e, do mesmo modo, sabia o que IÁURRU tinha feito com o reis dos Amorreus! Nisso, sobreveio sobre ela o temor a ULRRIM e, pela umunah guardou os filhos de Yaoshorul, de maneira que assim fazendo, fosse manifesto para com ela, misericórdia e, salvação!
 
Essa atitude de Raabe garantiu a ela, a seus pais, irmãos, irmãs e, a todos que lhes pertencessem, a misericórdia e, a fidelidade da parte dos Yaoshorulitas, quando por meio do IÁURRU receberam a terra Prometida. Como podemos perceber, pela emunah no ULRRIM de Yaoshorul, Raabe e toda sua família foram salvos e, passaram a habitar em meio a Yaoshorul(Israel). 
 
Raabe, casou-se Raabe com Salmon e, dessa união nasceu Boaz.
 
 
QUEM FOI RUTE?
 
 
 
A história de Rute está registrado no livro que leva o seu nome. É uma história em que nos é ensinado a respeito da emunah, da esperança e, do ohav.
 
Assim como Raabe, Rute também era mulher estrangeira, sendo que a primeira era Cananéia e, Rute, moabita. De acordo com as escrituras, nos dias em que os Juízes governavam, um homem de Belém de Yaohudah, saiu a peregrinar na região de Moabe e, por alí ficou, juntamente com sua esposa esposa Noemi e, seus filhos Malom e Quiliom, os quais se casaram com mulheres moabitas, a saber: Rute se casou com Malom e, Orfa com Quiliom.
 
Com a morte de Elimeleque, Noemi ficou com os filhos, mas com a morte destes, viu-se desamparada, decidindo então por voltar para Yaohudah, visto que ouvira falar que IÁURRU visitou seu povo, dando-lhe pão. De suas noras, Rute foi a que não aceitou retornar para a casa de seus pais, insistindo em seguir a sogra para onde quer que ela fosse e, acampando onde ela acampasse e, fazendo do povo de sua sogra o seu povo e, o ULRRIm de sua sogra, o seu ULRRIM.
 
Abandonar o seu povo e, sua parentela para ser uma estrangeira em meio um povo que olha com desconfiança os que não trazem consigo os preceitos de ULRRIM, não é tarefa fácil! Mas Rute sabia que não estava sozinha. E mesmo na condição de estrageira aos olhos dos que alí estavam, trabalhava dobrado, sem reclamar. Colocou-se com a menor dos que alí estavam. Colocou-se como quem dependia do que alí era retirado para sua sobrevivência.
 
Quantas nos dias de hoje tem feito o mesmo? Suportar as adversidades sem ficar com os braços cruzados, sem passar por cima de ninguém, sem querer ocupar uma posição que até então não lhe pertence! Assim fez Rute. E tudo o que fez, não fez por si mesma, mas em obediência e, em emunha a tudo quanto a sua sogra lhe ordenava fazer.
 
Estabelecendo-se em Belém com Noemi, sua sogra, Rute foi colher espigas de milho no campo de Boaz, homem poderoso e rico, o qual fazia parte da família de Elimeleque, esposo de Noemi. Com este Rute se casou e teve um filho, o qual se chamou Obede (Rute 4:13-17). E Obede foi pai de Jessé e, Jessé, pai de Daoud.
 
 
 
QUEM FOI BATE-SEBA?
 
 
A história de Bate-Seba está registrada no livro de 2 SamuUL 11.
 
Daoud ao avistar de seu terraço, Bate-Seba se banhando, gerou dentro de si o desejo e, a cobiça por essa mulher, a qual perante seus olhos era muito formosa. Mas havia um obstáculo: Bate-Seba era casada com Urias, o qual estava em combate. Daoud pouco se importa se ela é filha de alguém, ou esposa de alguém, o seu desejo por ela o fez passar por cima de tudo, tanto da lei moral, a qual proíbe o adultério, quanto da lei civil de Yaoshorul, a qual condena à morte por apedrejamento os adúlteros.
 
NA concretização de seu desejo, Daoud se deita com Beta-Seba, a qual fica grávida do rei e, na eminência de encobrir o seu pecado usa de subterfúgios, resultando por fim, na morte de Urias. Com a morte deste, Daoud então se casa com Bete-Seba e, o filho gerado desse relacionamento de origem pecaminoso também veio a falecer, mesmo com toda a intercessão e clamor de Daoud em prol de seu filho, perante a IÁURRU.
 
Passado um tempo, Bate-Seba engravidou novamente de Daoud e, deu a luz um menino, o qual recebeu o nome de Salomão. Este se tornou herdeiro do trono de seu pai Daoud. 
 
 
CONCLUSÃO:
 
Como podemos perceber, a história de vida das mulheres citadas acima, foi marcada por luta, dificuldade, humilhação, vergonha, desonra, mas  de acordo com o que nos foi ensinado: "Onde abundou o pecado, superabundou a graça de ULRRIM."
 
Através dessas mulheres, conseguimos perceber que IÁURRU tem um projeto de vida para cada um de nós! Vem dELE a solução para transformar o nosso pranto em alegria! Vem dELE o poder de transformar a morte em vida e, fazer resplandecer das trevas, a sua Luz! Transformando a desonra em honra e, colocando de pé os que se encontram prostrados.
 
Do mesmo modo que IÁURRU agiu com misericórdia, com amor e, com justiça na vida dessas mulheres, ELE também quer fazer na vida de todos quanto O buscam! Depende de cada um de nós em querer aceitar o socorro que ELE nos apresenta por meio de Merrushirrái IAURRÚSHUA, afim de que O recebendo, os conflitos existentes dentro de nós, sejam apaziguados com a sua Shuaoleym (salvação eterna).
 
 
IÁURRU quer e pode mudar a sua história!

"Porque ULRRIM amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho unigênito,
para que todo o que nELE crê não pereça, mas tenha vida eterna." 
Yaohurranan(Jo)3:16
 
 
 

Contato

Oholyao em Queimados RJ

oholyaodeiaurrushua@gmail.com

Pesquisar no site

© 2014 Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode