Compreendendo a Respeito do Tetragrama Sagrado

 
Abordarmos a respeito do Nome Sagrado, o qual nos é apresentado nas Escrituras através do Tetragrama, ou seja, através de 4(quatro) consoantes hebraicas, as quais são: יהוה (transliteramos: Iod He, Vav He), é fundamental, visto que, o conhecer alguém, começa pelo conhecimento de seu nome! 
 
Assim sendo, começaremos nossa aborgadem a respeito desse assunto, fornecendo a seguinte informação: a transliteração que obtemos em inglês do Tetragrama Sagrado é: YHWH e, em nosso idioma, português, temos a seguinte transliteração: IHVH.
 
É claro que para os que estão se deparando com essa Verdade, o principal interesse é saber qual a pronúncia desse Nome, o qual somos instruídos a conhecer, de modo que o invocando, sejamos salvos! E, nisso, surge-nos a seguinte pergunta: "Qual o nome do ALTÍSSIMO? Responda se é que o sabes!"
 
Quando buscamos através da gramática hebraica, a pronúncia correspondente das consoantes que formam o Nome Sagrado, damo-nos conta que, faz-se necessário a compreensão de 3(três) pontos fundamentais a respeito do Nome do Todo Poderoso, a saber:
 
a) -  o que diz respeito a letra Hê contida no final da sílaba e/ou Tetragrama;
b) -  o som vocálico do sinal Qamets contido abaixo do Iod;
c) - o som correspondente a letra Vav no Tetragrama.
 
1 - COMPREENDENDO A RESPEITO DA LETRA HÊ (ה) NO FINAL DA SÍLABA
 
É muito comum deparamo-nos com a pregação que afirma que a letra Hê no final da sílaba é muda, ou seja, não possui som! Mas esse tipo de afirmação NÃO é verdadeira! E, por que assim afirmamos? Porque de acordo com a gramática hebraica, a consoante Hê, no final da palavra, TEM SOM! E, o seu som é VOCÁLICO, podendo ser A ou Ê, embora, também a encontramos nas Escrituras, sendo vocalizada pela terminação O, forma essa encontrada uma única vez nas Escrituras, a saber : no nome do rei Shelomo(conhecido por Salomão), conforme podemos observar no texto abaixo:
 
Prov 1:1 "Provérbios de Salomão, filho de Davi, rei de Israel"
 
Compreender a respeito da consoante Hê, é de grande importância para os que buscam conhecer àquEle que nos tem chamado a Salvação, pois ajuda-nos a compreender o som que esta letra possui na formação do Tetragrama Sagrado. E, para isso, convém mencionarmos a seguinte informação contida na gramática introdutória do Hebraico Biblico do autor Page H. Kelley, onde lemos o seguinte: " O hebraico antigo não tinha um sistema de vogais escritas. A língua era lida e falada de acordo com a tradição oral passada de geração em geração. Já desde cedo no desenvolvimento da língua, certas consoantes começaram a funcionar não somente como consoantes, mas também como indicadores de vogais. Assim o א(alef) e o ה(hê) foram usados para indicar a classe de vogais "a"; o י(iod) foi usado para indicar a classe de vogais "e" e "i", o ו(vav) foi usado para indicar a classe de vogais "o" e "u". Os antigos gramáticos hebreus usaram o termo "matres lectionis", auxílios de leitura(literalmente mães de leitura") para designar essas letras. As duas consoantes mais usadas são os indicadores vocálicos י(iod) e ו(vav).
 
Como podemos perceber, o Hê dependendo de onde está inserido, pode exercer a função de consoante ou vogal. Daí a necessidade de compreendermos acerca dessa posição em que o Hê está inserido, pois a mudança de posição ocasionará também uma mudança de função e, consequentemente, uma mudança no seu som e/ou, em sua pronúncia!
 
Diante disso, separamos abaixo, algumas gramáticas, nas quais obtemos informações importantes a respeito da consoante Hê:
 
1 - Page H.Kelley Hebraico Bíblico. Uma gramática Introdutória. 4ª Edição. Editora Sinodal, pg 38
 
 
É importante compreendermos essas informações de Page Kelley, no que diz respeito a letra hê, pois o não atentar-se corretamente para o que ele está ensinando, há os que se atentam apenas para o fato de que o Hê no final da sílaba é mudo e, nisso NÃO se atentam para o que é falado antes, ou seja, o hê é mudo  no final da sílaba, no que diz respeito ao som consonantal, MAS... de acordo com Page Kelley, no final da sílaba, o Hê tem som vocálico! 
 
É acerca disso que precisamos estar atentos! O ser mudo, NÃO significa que a consoante hê não tem som! Mas sim, que de acordo com a posição em que ela está inserida na palavra, essa letra perde a sua função consonantal e, passa a assumir função vocálica!
 
2 - Antônio Renato Gusso. Gramática Instrumental do Hebraico Passo a Passo. Editora Vida Nova, pgª39
 
 
3 - Gordon Chown. Gramática Hebraica. Como ler o Antigo Testamento na Língua Original, pgª76
 
 
4 - Dicionário Gramática Gensenius:
 
Tradução do 1º parágrafo: A necessidade de uma indicação escrita da vogal, primeiro se fez sentir nos casos em que, após a rejeição de uma consoante, ou de uma sílaba inteira, uma vogal longa formaram o som no final da palavra. O primeiro passo nesse caso foi o de reter a consoante final original, pelo menos como uma vogal, isto é, apenas como uma indicação de uma vogal final. Em ponto de fato, encontramos mesmo no Velho Testamento, como na inscrição de Mêsa, um ה empregado desta forma (ver abaixo) como uma indicação de um final o. A partir disso, foi apenas um passo para o emprego da mesma consoante para indicar também outras vogais , quando final ( assim , por exemplo, na inflexão dos verbos... , as vogais ã, e, è) . Após a contratação de ו (vav) como um vogal para ô e û , e de iod para E e I , tinha sido estabelecida (veja abaixo , e) estas consoantes também foram empregados - embora não de forma consistente - para as mesmas vogais no final de um palavra.
 
 
5 - Gramática Hebraica de Thomas O. Lambdin: 
 
Tradução: A letra Hê, era usada apenas no final da palavra como uma letra vocálica representando alguma outra vogal já mencionamos. As três letras: iod, vav e Hê em suas funções como indicadores vocálicos são chamados de matres lectionis( literalmente, maes de leitura), seguindo tradicionalmente a terminologia da gramática hebraica. 
 
Como podemos perceber, pelas informações fornecidas pelos gramáticos acima, a consoante Hê no final da sílaba, assume um som VOCÁLICO! Portanto, quando nos deparamos com o Tetragrama Sagrado, temos que ter em mente o seguinte, o hê no final desse Tetragrama, TEM SOM e, o seu som é VOCÁLICO, podendo ser A ou Ê !
 
Então, fica-nos a seguinte pergunta: Por que há quem afirme que o Hê é mudo no final de sílaba? E, a resposta provável para essa pergunta, seja, o fato de interpretarem errôneamente o que a gramática hebraica ensina, onde a mesma diz o seguinte: o Hê é uma consoante normal no início da sílaba, tendo como som, um R aspirado, MAS... quando aparece no final da sílaba, torna-se mudo! MAS ATENÇÃO!!!! O tornar-se mudo, NÃO significa que o Hê não tem som, AO CONTRÁRIO! O tornar-se mudo no final da sílaba, significa que o Hê perde o seu som consonantal existente no início da sílaba e, passa a ter som VOCÁLICO no final desta! É isso que infelizmente, muitos não se atentam e, por não se atentarem, interpretam o ser "mudo", com o não ter som, o que NÃO é verdade! Esse Hê final tem som, compete-nos nesse caso, sabermos qual é! Há quem afirme que seja A, apregoando dessa forma que o nome do ALTÍSSIMO é: Yahua; outros Yahva; mas também há quem afirme que seja Ê, apregoando dessa forma que o nome do ALTÍSSIMO é: Yahuê; outros Yahve! E agora? Qual o som que o HÊ possui no final do Tetragrama Sagrado?
 
Afim de compreendermos melhor esse som vocálico que o Hê assume no final da sílaba, colocamos abaixo, alguns exemplos:
 
1º exemplo:
ילד (pronunciamos: ieled - menino)
ילדה (pronunciamos: ialda - menina)
 
observem atentamente que na primeira palavra - menino, não temos a letra hê no final, ao contrário da segunda palavra, menina! Percebam que o Hê final tem som vocálico de A.
 
2º exemplo:
 
מלך ( pronunciamos: melech - rei)
מלכה(pronunciamos: malka - rainha)
 
Observem que na primeira palavra, rei, temos a terminacão com um Khaf final(ך). Na formação da palavra rainha, a terminação desta se dá com um Hê, o qual tem som vocálico de A.
 
3º exemplo:
 
איש (pronunciamos: ish - homem)
אשה (pronunciamos: isha - mulher)
 
Observem que na formação da palavra mulher, temos a letra Hê no final dessa palavra, o qual tem som vocálico de A.
 
Na palavra יהודה (Yehudah), percebam que a terminação dessa palavra se dá com um Hê e, o som que este assume no final da sílaba, é vocálico, a saber: A.
 
E, nisso, voltamo-nos para a pergunta de início: Qual o som do Hê no final do Tetragrama Sagrado" ? Não sabemos ao certo, pois de acordo com a gramática hebraica, essa letra pode ter som de A ou E. Assim sendo, fazemos uso da forma que encontramos na formação do nome dos profetas, a saber: YHW, a qual pronunciamos: YAHU.
 
 
2 - COMPREENDENDO A VOCALIZAÇÃO QAMATS NO TETRAGRAMA
 
Para nós, a compreensão a respeito da vocalização do Qamets, também é de grande importância, pois no que tange ao Tetragrama Sagrado, há os que afirmam, como outrora, nós também interpretávamos a afirmação de Gordon Chown, a qual diz que o Qamets tem som de A tendendo para O, como se o qamets tivesse um som de ditongo: AO! Mas essa forma NÃO condiz com a gramática hebraica, a qual nos ensina que os sinais massoréticos, representam UMA VOGAL, ou seja, UMA SÓ VOCALIZAÇÃO e, não duas!!
 
Assim sendo, embora não sejamos capazes de saber o que vai pela mente do homem, de modo a interpretar na íntegra o que ele pensa e, o que ele procura em suas palavras transmitir, o que entendemos diante da afirmação de Gondon Chown é o seguinte: o A tendendendo para o O, significa o que este qamet quando grande(gadol), tem som de A longo, mas quando pequeno(qaton), tem som de O longo, exigindo do leitor o conhecimento da palavra que está sendo analisada, de modo a saber se o som do qamets contido nela, tem som de A, ou som de O.
 
Diante disso, deparamo-nos com dois grupos: 
 
a) o grupo que afirma que a pronúncia do Qamats no tetragema é AO;
b) o grupo que afirma que a pronúncia do qamats no tetragema é A.
 
E, nisso, surge-nos a seguinte pergunta: qual diferença entre o som do qamats e, o som do patar? E, que diferença faz o uso de um ou outro? Por acaso, intereferirá na salvação do indivíduo? É o que pretendemos abordar no decorrer desse tópico.
 
Vejamos nas fotos abaixo, o que os gramáticos da língua hebraica afirmam a respeito desse assunto :
 
1 - Paul Auvray
 
 
 
Observem atentamente as informações obtidas da Gramática de Paul Avray, na págª 34, o autor afirma que quando uma vogal preceder uma letra vocálica, forma-se um ditongo(au, ai).
 
Há quem use essa afirmação para justificar o ditongo pronunciado AO referente ao qamets, mas o que se faz necessário salientar é o seguinte: o autor apresentou as seguintes letras vocálicas: iod e vav, mas esqueceu de fazer menção da letra hê, que asism como as demais, também é uma letra vocálica, ou seja, uma consoante que dependendo da situação, pode assumir a função de som vocálico. 
 
Percebam que no que diz respeito a formação de ditongo(au, ai), as consoantes vocálicas usadas são: iod, cujo som é vocálico é: i. Assim sendo, quando o qamets cujo som é A, antecede o Iod, o som que se obtem é AI (qamets+iod). O mesmo ocorre com a consoante vocálica Vav, cujo som vocálico é de U. Nesse caso, quando o vav é antecedido pelo qamets, cujo som é A, o som que obtemos é AU (qamets+vav).
Percebam que no que diz respeito a formação de ditongo(au, ai), as consoantes vocálicas usadas são: iod, cujo som é vocálico é: i. Assim sendo, quando o qamets, cujo som é A, antecede o Iod, o som que se obtem é AI (qamets+iod). O mesmo ocorre com a consoante vocálica Vav, cujo som vocálico é U. Nesse caso, quando o vav é antecedido pelo qamets, cujo som é A, o som que obtemos é AU (qamets+vav).
 
Diante disso, vejamos o exemplo abaixo, fazendo uso da letra Hê: 
יהT => nesse caso, o qamet antecede a letra vocálica, a saber a letra Hê! Diante disso, caso seguíssemos a teoria de Paul Avray, depararíamos com um grande problema, visto que, o hê no final da sílaba tem som vocálico de A ou Ê. Como fazer então esse Hê, precedido de um qamet, tornar-se mudo, de modo que o qamets tenha som de AO ? Não tem como! Para que isso acontecesse, o Hê no final da sílaba teria que ser mudo por completo, isto é, tanto no que diz respeito a som consonantal e, ao som vocálico, o que não é o caso, pois como já vimos, o Hê no final da sílaba perde seu som consonantal, e passa a ter som vocálico!
 
Outro ponto que não concordamos com o autor Paul Avray, está relacionada a pronúncia da palavra סוסיו. De acordo com o autor, a pronúncia dessa palavra é: SUSAU, o que não faz sentido e, assim afirmamos pela seguinte razão:
 
=> Quando a consoante vav é antecede a terminação patah - iod e, ou qamet-iod, o som resultante é um AIV longo(com qamets) ou, curto(com patah), o som resultante é: AIV longo(qamets) ou curto (com patah) e, NÃO a terminação AU! Daí a pronúncia e, consequentemente a transliteração é: SUSAIV.
 
 
2 - Gesenius
 
 
Tradução: Das vogais em geral, letras vocálicas e, sinais vocálicos.
1. A origem da escala de cinco vogais, a,e,i,o,u, nos três sons vocálicos primários A,I,U,  é ainda mais claramente visto no hebraico, e seus dialetos cognatos, do que em outras línguas. Aqui E e O têm em todos os casos, surgido a partir de uma mistura de dois puros sons vocálicos em um; viz.(?) e da união de I, e o da união de U, com um curto A precedente. Consequentemente, eles são devidamente ditongos contraídos, e decorrente de (ai), o de (au), de acordo com o seguinte esquema. Observar triângulo.
 
Diante dessa afirmação contida na gramática de Gesenius, muitos são os que a interpretam para defender o ditongo no hebraico, quando na verdade, o que está sendo mencionado nessa gramática é que da união de duas vogais primárias, obtém-se uma nova vogal! Compreender isso é importante, pois do contrário estaremos repassando uma informação errônea!
 
Vejam... quando Gesenius fez menção da união entre vogais primitivas, DE MANEIRA NENHUMA ele está afirmando a existência de um ditongo no hebraico! O que está sendo falado é a respeito da existência de vogais primárias, que ao se unirem, são contráidas, de modo a formar uma nova vogal! Essa união chamada de ditongo pelo autor, provavelmente se deu pelo fato de termos uma vogal e uma semivogal, mas percebam que essa união NÃO é para formar um ditongo propriamente dito, ou seja, um ditongo da forma que entendemos em nosso idioma, MAS SIM, para a formação de uma nova vogal!
 
Para entenderms melhor a respeito desse assunto, um exemplo simples e, claro que podemos citar são as cores primárias, as quais assim são chamadas pelo fato de NÃO serem obtidas através de misturas, são elas : vermelho, amarelo e azul. Somente com a mistura dessas três cores, é que podemos obter e/ou criar outras cores!
 
É isso que muitos não se atentam! Gesenius não está ensinando que existe ditongo no hebraico, o que ele ensina é que da união de duas vogais primárias, obtemos uma nova vogal!
 
 
3 - Gordon Chown
 
 
 
 
Há quem afirme pautando-se na gramática de Gordon Chown pgª 11, que o mesmo defende a existência da pronúncia AO no que se refere ao qamats. O que estes NÃO se atentaram, foi para o seguinte: Gordon Chown de maneira nenhuma afirma que o som do qamats é AO! O que ele afirma é que este tem som A longo!
 
Quando nos atentamos para o triângulo das vogais no hebraico, o que temos é o seguinte: as vogais primárias, as quais são: (A; I; U) e, as vogais formadas pela união dessas vogais primárias, isto é: da união entre A+I = E; da união entre A+U = O.
 
Assim sendo, quando lemos na Gramática de Gordon Chown, que o som do qamets é de A, tendendo para O, a primeira coisa que precisamos ter em mente é o seguinte: Existe dois tipos de o Qamets: o Gadol(grande), cujo som é de A longo; e, o Qaton/Hatuf(pequeno), cujo som é de O.
 
Quando nos atentamos para o triângulo das vogais, descrito na Gramática de Gordon Chown, podemos observar o seguinte: a vogal O, para se longa, é necessário ter um rolem(.) sobre o Vav. Em contrapartida, a vogal O, terá sua pronúncia curta, quando o qamets vir acompanhado de um segol(:).
 
Portanto, em nenhum momento, Gordon Chown ensina que o A tendendo para O, forma o ditongo AO, mas sim, ensina que o som do Qamets é de A longo e, a união da vogal A+U, resulta em uma terceira vogal, a saber: O, o qual pode ser longo ou curto! Apenas isso.
 
 
Antonio Renato Gusso, a respeito desse assunto, afirma o seguinte: "O qamets qaton, ou hatuf, e o qmets gadol são representados pelo mesmo símbolo, mas possuem sons diferentes. Na escrita, só mesmo conhecendo as palavras para poder diferenciá-los." pgª 38
 
O gramático Page Kelley, a respeito do qamets também afirma o seguinte: "O gamets qaton e o qamets hatuf, tem a mesma forma, porém um representa a vogal longa da classe "a" e, o outro, uma vogal breve da classe "o"." pgª 25
 
Provavelmente, é isso que o Gordon Chowm quis explicar em sua gramática, ou seja, que o qamets, cujo som é de um A longo, também pode ter som de O breve! Portanto a afirmação de que o qamets tendendo para o O resulta numa pronúncia: AO é INCORRETA!
 
Para entendermos melhor a respeito do som correspondente ao qamets, faz-se necessário nos atentarmos para o seguinte:
 
1º -  quando o qamats precede o sinal de um sheva(:), este passa a ser vocalizado como um qamets qaton, ou seja, seu som é de "o" breve, conforme podemos perceber na palavra SABEDORIA em destaque, nos textos abaixo:
 
Provérbios 7:4 "Dize à sabedoria: Tu és minha irmã; e à prudência chama de tua parenta."
 
 
Deuteronômio 34:9 " E Josué, filho de Num, foi cheio do espírito de sabedoria, porquanto Moshe tinha posto sobre ele as suas mãos; assim os filhos de Israel lhe deram ouvidos, e fizeram como YHWH ordenara a Moshe."



2º - quando temos um qamats Katon(qamats pequeno), conforme podemos observar na figura abaixo, onde temos a palavra TODO em destaque:
 
Gn 1:21 "E Elohim criou as grandes baleias, e todo o réptil de alma vivente que as águas abundantemente produziram conforme as suas espécies; e toda a ave de asas conforme a sua espécie; e viu Elohim que era bom."
 

Prov 4:7 "A sabedoria é a coisa principal; adquire pois a sabedoria, emprega tudo o que possuis na aquisição de entendimento."
 
 
Obs.: Neste caso, quando nos deparamos com uma palavra sinalizada com um qamets, somente quando a conhecemos, é possível sabermos se o qamets que a sinaliza é gadol (A longo) ou qaton(O breve)!
 
2.1 - A DISTINÇÃO ENTRE QAMETS E PATAH
 
Como já falamos anteriormente, há dois grupos que interpretam o som do qamats: um grupo acredita que o som deste sinal vocálico é como AO e, um outro grupo que acredita que o som do qamats é A. E, nisso, o que encontramos são os que por acreditarem que o som do qamats é AO, vê os que o pronunciam A, como aqueles que pronunciam errado e, vice-versa!
 
Mas a questão é: qual o som do qamats?
 
Afim de buscarmos uma resposta para essa pergunta, analisamos as gramáticas hebraicas e, o que conseguimos compreender acerca do que alí é ensinado foi o seguinte: o qamats tem som de A, assim como o patah também tem! A diferença entre um e outro, está na duração da pronúnica dessa vogal, isto é, no caso do qamats o som do A é longo, enquanto no patah, o som do A é curto.
 
Para facilitar a compreensão acerca desse assunto, colocamos abaixo, algumas palavras com seus respectivos sinais vocálicos:
 
QAMETS (T): A longo
 
 = > Pai - pronunciamos: ÁV
 => Criou - pronunciamos: BARÁ
 => Irmão - pronunciamos: ÁRRI
 
Nas palavras acima, o som do qamats é de um A longo e, para se ter uma noção de como é essa pronúncia em nosso idioma, é só nos atentarmos para a forma como pronunciamos a vogal A, nas seguintes palavras: campo; mãe; magro; lâmpada; cantor... 
 
 
PATAH ( ): A breve e/ou curto
 
 => Senhor - pronunciamos: BAAL
 => Magnífico; majestoso - pronunciamos: ADIR
 
Nas palavras acima, o som do patah, é uma um A curto! E, para se ter uma noção de como é essa pronúncia em nosso idioma, é só nos atentarmos para a forma como pronunciamos a vogal A, nas seguintes palavras: pá; casa; caqui; bala; caneta...
 
Como podemos perceber, a distinção entre o qamats e o patah, NÃO está na afirmação em que se apregoa que o som de um é AO, enquanto o som do outro é A, MAS SIM, no fato da pronúncia de um ser longo, enquanto a do outro é curto! Apenas isso!
 
Precisamos ter em mente que, gramaticamente falando, no hebraico, os sinais vocálicos representam 1(UMA) vogal; e/ou 1(UMA) vocalização! Portanto assim sendo, o que podemos afirmar com base na gramática hebraica é, que o som obtido do Qamets é A  e, não AO.
 
 
3 - COMPREENDENDO A RESPEITO DO VAV NO TETRAGRAMA
 
Provavelmente há quem diga: "falar a respeito do vav é facil! Ou ele tem som de U; O; ou V." Mas a questão é, que som tem o Vav no Tetragrama Sagrado? Atentarmo-nos para isso, é de grande importância, pois sabemos que o Tetragrama é formado por 4(quatro) consoantes, mas quando pronunciamos Yahu, estamos pronunciando apenas três consoantes: יהו(YHH).
 
Já vimos que o Hê no final da sílaba, tem som vocálico, assim sendo, temos: Consoante(iod), Vogal(hê), Consoante(vav), Vogal(hê). O que isso significa? Significa que quando pronunciamos o Nome do Criador, na forma reduzida, contendo apenas três consoantes: יהו, o vav que se apresenta no final da sílaba, tem som vocálico de U, mas quando nos deparamos com o Tetragrama, ou seja, com as quatro consoantes, o que temos é a letra hê fechando a sílaba. Nesse caso, o vav que na forma reduzida, tem som de U, no tetragrama, precedendo uma letra vocálica(hê), o vav passa a ter som consonantal, isto é, passa a ter som de V.
 
Vejamos nos exemplos abaixo, nas letras sublinhadas, o som que o Vav pode ter:
 
Vav com som de O => צְבָא֗וֹת  (pronunciamos: tzevaot; tradução: exército)
Vav com som de O => תּוֹרָה֙  (pronunciamos: tora; tradução: lei)
 
Vav com som de V => מִּצְוָ֖ה (pronunciamos: mitsva; tradução: mandamento)
Vav com som de V => דָוִ֔ד (pronunciamos: David)
 
Vav com som de U => שֽׁוֹעַ (pronunciamos: shua; tradução:salvação)
Vav com som de U => ר֥וּחַ (pronunciamos: ruach; tradução: espírito)
 
 
4 - ANALISANDO AS FORMAS DE GRAFIA DO NOME DO CRIADOR NAS ESCRITURAS
 
Eis aí um ponto importante para comentarmos, visto que, nem todos se dão conta que nas Escrituras, encontramos 3 formas distintas de se grafar o do Nome do ALTÍSSIMO, são elas:
 
1ª forma - formada por quatro consoantes. É o que chamamos de Tetragrama: יהוה(YHWH). É essa forma que encontramos na maioria das vezes no Antigo Testamento;
 
Exodo 3:15 "E Elohim disse mais a Moshê: Assim dirás aos filhos de Israel: יהוה(YHWH) Elohim de vossos pais, Elohim de Abraão, Elohim de Isaque, e Elohim de Jacó, me enviou a vós; este é meu nome eternamente, e este é meu memorial de geração em geração."
 
Àudio Ex 3:15: Voz 317.m4a (261411)
 
 
Dt 2:17  "יהוה(YHWH) me falou, dizendo:"
 
 
Sl 113:1 "Louvai יהוה(YHWH). Louvai, servos do יהוה(YHWH), louvai o nome do יהוה(YHWH)."
 
Àudio - Salmos 113:1: Voz 318.m4a (95412)
 
 
2Sm 22:2 "Disse pois: יהוה(YHWH) é o meu rochedo, e o meu lugar forte, e o meu libertador."
 
 
1Rs 1:37  "Como יהוה(YHWH) foi com o rei meu adoni, assim o seja com Salomão, e faça que o seu trono seja maior do que o trono do rei Davi meu adoni."
 
 
1Cr 16:11 "Buscai a יהוה(YHWH) e a sua força; buscai a sua face continuamente."
 
 
Jeremias 17:7  "Bendito o homem que confia no יהוה(YHWH)Senhor, e cuja confiança é יהוה(YHWH)."
 
 
Observação: Como podemos perceber nos áudios que disponibilizamos, sempre quando os Yehudim se deparam com o Nome Sagrado em sua forma completa(Tetragrama), eles pronunciam Adonay.
 
 
2ª forma - formado por 3 consoantes. É o que chamamos de trigrama: יהו (YHW). É essa forma que encontramos em nomes próprios compostos, como por exemplo no final dos nomes dos profetas, dentre eles citamos:  YermYahu; ObadYahu; ZocharYahu. A pronúncia que obtemos dessa forma reduzida é: Yahu/IÁRRU.
 
Observem no texto abaixo, que as três consoantes em destaque(יהו), encontram-se presentes no final do nome do profeta Jeremias:
 
Jr 33:19 "E veio a palavra de YHWH a Jeremias, dizendo:"
 

Observem no texto abaixo, que as três consoantes em destaque(יהו), encontram-se presentes no final do nome do profeta Zacarias:

 
1Cr 24:25 " O irmão de Mica, Issias; dos filhos de Issias, Zacarias."
 

Observem no texto abaixo, que as três consoantes em destaque(יהו), também estão presentes no final do nome de Obadias:

 
1Rs 18:3 "E Acabe chamou a Obadias, o mordomo; e Obadias temia muito a YHWH."
 

Observem no texto abaixo, que as três consoantes em destaque(יהו), também estão presentes no final do nome de Zedequias:

 
1 Rs 22:24 "Então Zedequias, filho de Quenaaná, chegou, e feriu a Micaías no queixo, e disse: Por onde saiu de mim o Ruach de YHWH para falar a ti?"
 
 
Agora, vejamos nas figuras abaixo, os Selos de barro, encontrados numa escavação arqueológica oficial, pelo arqueólogo Eilat Mazar, na qual podemos visualizar o nome de Gelalyahu, filho de Pasur( Jr 38:1) e, Shelemyahu( Jr 37:3). Percebam nas figuras que, as três consoantes (iod; hê; vav), encontram-se presente no final desses nomes, cuja pronúncia final é: Yahu.
 
 
Audios:
Voz 312.m4a (147972)    -   Yermyahu 1:1
 
Voz 314.m4a (234500)    -   YeshaYahu 1:1
 
 
3ª forma - formado por duas consoantes. É o que chamamos de digrama: יה (YH) e, cuja pronúncia é YA . Encontramos nas Escrituras, essa forma sendo usada na formação de nomes dos profetas, como no caso do nome do profeta Jeremias, que ora aparece nas Escrituras tendo יהו no final de seu nome, ora aparece tendo יה. Também encontramos essa forma para se referir ao CRIADOR. Essa forma, normalemente é apresentada na forma poética e/ou nos cânticos
 
Exodo 15:2 " Minha força e canção é YA; Ele me foi por salvação; este é o meu EL, portanto lhe farei uma habitação; ele é o EL de meu pai, por isso o exaltarei."
 
Àudio Jr 15:1-3: Voz 315.m4a (515357)
 
 
Exodo 17:16 "E disse: Porquanto jurou YA, haverá guerra do YHWH contra Amaleque de geração em geração."
 
Salmos 89:8 "YHWH Elohei dos Exércitos, quem é poderoso como tu, YA, com a tua fidelidade ao redor de ti?

 
Àudio - Salmos 89:8: Voz 316.m4a (157495)
 
Percebam que o rabino diante do Tetragrama, pronuncia Adonay. Somente quando o Nome Sagrado está na forma reduzida, é que os Yehudim o pronunciam! Assim acontece com a forma constituída por três consoantes(trigrama - Yahu) e, a forma constituída por duas consoantes(digrama - Yah).
 
 
Finalizando...

E, após tudo o que foi abordado nesse estudo, há quem se faça a seguinte pergunta: "Qual a pronúncia do Tetragrama Sagrado"? Como procuramos abordar nesse estudo, a não compreensão acerca do Hê no final da sílaba; bem como o não entendimento acerca do som do qamats, tem levado muitos, a achar que a pronuncia do nome contido no Tetragrama, seja: Yahuê; outros acreditam que a pronúncia do Nome Sagrado seja: Yahveh; outros, Yahu.

Vejamos as fotos abaixo:

1 - Vejamos na foto abaixo, a formação da palavra Yahu e, sua vocalização:

Como já abordamos ao longo desse estudo, é muito comum encontrarmos a forma reduzida do Tetragrama, constituída pelas 3 consoantes(iod;hê;vav), na formação final de nomes compostos, dentre eles, os nomes de alguns profetas, onde obtemos a pronúncia: Yahu.

Também é importante mencionarmos o seguinte, a respeito dessa forma reduzida do Tetragrama: ao contrário do som obtido no final de nomes compostos, essa forma reduzida, quando no início de nomes compostos, tem como pronúncia: Yehu, conforme podemos perceber em : Yehuda; Yehudim. 

Não sabemos se essa mudança se dá em razão de uma regra gramatical ou, em razão de costume do povo de Israel. O que percebemos em nosso estudo é, que quando a forma reduzida (iod; hê; vav) aparece no final de nomes compostos, a pronúncia que obtemos é Yahu, mas no início, a pronúncia que obtemo,s é Yehu ou Yeho.

Diante dessa forma reduzida, também há quem pronuncie: Yau. E, os que assim pronunciam, fazem pelas seguintes razões: 1º) por considerararem o som do hê fraco, quase imperceptível! 2º) outros, assim pronunciam, por considerarem o hê fechando a sílaba, nesse caso, temos na primeira sílaba: (iod; hê) e, na segunda a letra Vav! Consequentemente, o hê que no final da sílaba tem som vocálico de A ou E, neste caso, passa a ter som do qamats, ou seja: A longo.

Vejamos abaixo o nome do primeiro Ministro de Israel, Benyamin Netanyahu:

Nós, particularmente, pronunciamos Yahu (IÁRRU), resultante da forma reduzida(iod;hê;vav), que se encontra no final de nomes compostos!

 

2 - Vejamos na foto abaixo, a formação da palavra Yahue

Na formação do nome Yahue, o que constatamos em nossos estudos é o seguinte: na concepção dos que fazem uso dessa pronúncia, essa forma possui duas sílabas: (iod; hê) na primeira sílaba, onde se obtém Ya, lebrando que, quando colocam Yah, assim fazem para mostrar que a vogal A, está precedendo a letra hê no final da sílaba, o que o faz com que este tenha som vocálico, mais precisamente, da vogal que a precede, ou seja: A longo.

Na segunda sílaba temos : ( vav; hê), onde consideram o vav, como uma vogal U e, o hê no final da sílaba, apregoam ter som vocálico de E. O que nos chama a atenção neste caso, é o fato de que para o hê para ter som de E, faz-se necessário que o vav seja pontuado com uma vogal, cujo som seja E. Neste caso, o vav teria que vir pontuado com um Segol ou Tserê! Mas não encontramos em nenhum texto hebraico, tal pontuação! 

Outro ponto importante a ser mencionado é: gramaticamente falando, não se tem no hebraico a forma: vogal+vogal, NÃO ser no caso especial de patah furtivo, que se introduz debaixo de hêit ou do Ain, como acontece na palavra Ruach, gavoha; shomeah! O que temos é: consoante+ vogal, visto que no hebraico não se inicia sílaba com vogal, com exceção do vav copulativo, isto é, quando é usado como uma conjução "e", como por exemplo: vaicrá; vemoshe... 

No tetragrama por exemplo, o que temos é a forma: consoante, vogal, consoante, vogal (CVCV). Portanto, essa forma Yahue, não se encaixa no que diz respeito ao ensino gramatical hebraico.

 

3 - Compreendendo a formação da palavra Yahweh

Nessa formação do nome Yahweh chamamos a atenção para o seguinte: os que defendem essa forma, consideram que a mesma tem duas sílabas: a primeira formada por: (iod; hê), sendo que o iod tem consigo a pontuação vocálica de um qamats, cujo som é de um A longo. Assim sendo,a pronúncia que se tem dessa primeira sílaba é: Ya, lembrando que quando eles colocam Yah, assim ocorre para sinalizar que a vogal A, está precedendo a letra hê final da sílaba.

Na segunda sílaba, temos: (vav; hê), onde o vav exerce a função de consoante, ou seja, V. Mas esta consoante, não vem pontuada com um Segol ou Tserê, de modo que o hê final tenha som da vogal que a precede, ou seja: E. Lembrando que quando colocam no final : eh, assim fazem para sinalizar que o hê no final é vocálico e tem som de E.

Assim sendo, "chutam" uma pronúncia que nem eles mesmos pontuam, apenas pré supõe!

De acordo com o Dicionário do Antigo Testamento, o nome Yahweh embora seja o mais aceito entre estudiosos, como sendo o provável nome do Criador, depara-se com o seguinte problema: segundo esse Dicionário, Yahweh é uma combinação de elementos arcaicos e elementos mais recentes. pgª346

E, nisso voltamos a pergunta de início: Qual a pronúncia do Tetragrama Sagrado? Como já abordamos ao longo desse estudo, não se sabe ao certo. O que encontramos nas Escrituras e, textos antigos, são formas reduzidas do Nome Sagrado e, dentre essas formas, de acordo com pesquisadores, a mais antiga é a que contém apenas duas consoantes(iod;hê), a qual se pronuncia da seguinte forma: YA e, é normalmente encontrada em textos poéticos e/ou cânticos, dentre eles: o cântico de Moshe; o cântico de Débora e, em Salmos. Também encontramos essa forma, na formação de nomes compostos.

Quanto a nós, pronunciamos a forma reduzida contida na formação final de nomes compostos, a saber: (iod; hê; vav), cuja pronúncia é: YAHU, mas também ficamos à vontade no que diz respeito ao uso da pronúncia Yah, visto que esta forma(YH) encontramos nas escrituras para se referir diretamente ao Eterno, ao contrário do que ocorre com a forma YHW(Yahu) cuja pronúncia encontramos apenas no final de nome próprio composto.

 

Bibliografia:
 
1 - Dicionário Internacional de Teologia do Antigo Testamento. R.Laird Harris;Gleason L.Archer, Jr.; Bruce K.Waltke. Editora Nova Vida. São Paulo, 1998.
 
2 - Dicionário VINE. Significado Exegético das Plavras do Antigo e do Novo Testamento. W.E.Vine; Merril F.Unger; William White Jr. Editora: CPAD. Rio de Janeiro, 2002.
 
 
4 - Gramática Hebraica de Thomas O. Lambdin: is.muni.cz/el/1421/jaro2013/OJ572/um/BibHebr_C25213031209020.pdf
 
5 - Hebraico Bíblico. Uma Gramática Introdutória. Page H.Kelley. 4ª Edição. Editora Sinodal.São Leopoldo, RS, 1998.
 
6 - Gramática Hebraica. Como Ler o Antigo Testamento na Língua Original. Gordon Chown. Editora CPAD. Rio de Janeiro. 2012.
 
7 - Gramática Instrumental do Hebraico. Antônio Renato Gusso. Ediroa Nova Vida. São Paulo.2008.

8 - Site onde é possível ouvir textos bíblicos em hebraico: cafecomhebraico.wordpress.com/category/biblia-hebraica-em-mp3/

 

OBS: Caso tenha gostado de nosso estudo e, dos demais postados em nosso site, responda nossa enquete contida na Página Inicial e, desejando ser notificado a respeito das novas postagens feitas em nosso site, envia-nos seu e-mail.

Contato

Oholyao em Queimados RJ

oholyaodeiaurrushua@gmail.com

Pesquisar no site

© 2014 Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode