Quem é Jesus?

Quando abordamos a respeito desse assunto, as reações que percebemos de imediato naqueles que se deparam com essa Verdade é, o susto, o espanto, a indignação e, em alguns casos, uma grande resistência em ouvir e, meditar acerca do que lhe está sendo revelado, a saber: que o nome Jesus, apresentado pelo cristianismo à humanidade, como sendo o verdadeiro nome do Ungido, É FALSO! Entretanto, muito dos conceitos usados para afirmar que este nome é falso, também estão errados, como por exemplo, os que nos foram apresentados.

 

Infelizmente, por não se atentarem ao que as Escrituras nos revelam, cumpre-se na vida destes, o que nos foi revelado em Oseias 4:6: “ O povo está sendo destruído, porque lhe falta conhecimento.”

 

É bem verdade, que o texto em Oseias fala de um povo especifico, a saber: o povo Hebreu, porém, podemos usá-lo como um exemplo de advertência a toda humanidade, tendo em vista que, o não conhecermos e, o não nos relacionarmos com o verdadeiro Criador e, o Verdadeiro Ungido, leva-nos também a destruição!

 

Diante disso, por mais que se buscasse esconder a Verdade a respeito do Nome do CRIADOR e, de seu FILHO, esse intento maligno de manter oculto os Nomes Sagrados, JAMAIS conseguiria impedir o que é promessa da parte do Altíssimo e, estendida a todas as Nações e, que promessa é essa? E, a resposta é: a salvação a TODOS que invocarem o seu NOME! (YoEl 2:32)

 

Assim sendo, o crer no Nome YHWH, leva-nos a receber dEle sua Salvação, de modo que purificados de todo o pecado, tenhamos livre acesso a Elohim. Mas a questão é: Por que o Nome do Salvador, não pode ser Jesus?

 

É comum ouvirmos a seguinte resposta simplista: "o nome do Ungido não pode ser Jesus, porque no hebraico não tem a letra J"! Sim, mas fica só nisso? Perguntamos! E, pode ser que alguém assim diga: "não pode ser Jesus, porque esse nome é, uma transliteração do grego e, a salvação vem ds Yehudim! Beleza, mas, novamente perguntamos: "fica só nisso"?

 

Daí, a necessidade de buscarmos conhecer acerca do que falamos e, de quem falamos! Porque para aqueles que estão no deserto sedentos, dificilmente se contentarão com meio copo de água! Portanto, se cremos que, há um Rio de água viva, fluindo em nós, que o deixemos fluir... de modo que a todo instante , essa água, seja renovada!

 

E, em meio a uma série de informações fornecidas, ainda há, os que tem dúvidas a respeito dos motivos que tornam o nome Jesus, um erro! Não sabem ao certo quem é essa pessoa que tem atraído para si, multidão, através de milagres, curas, transformações realizadas em seu nome, o qual bem sabemos, NÃO resulta em salvação! Pensando nisso, pontuamos nosso estudo da seguinte maneira:

 

1 – Como surgiu o nome Jesus?;

 

2 - Como surgiu a letra J, existente no nome Jesus?

 

3 - É verdade que Jesus no hebraico é Deus cavalo e, no latim é Deus porco? ;

 

4 - Mas como ficam os milagres realizados nesse nome Jesus?;

 

 

Antes de começarmos a adentrarmos em nosso estudo, precisamos compreender o seguinte: Transliteração NÃO é o mesmo que Tradução. Transliteração é o processo de representação de um nome em outro idioma, transpondo som a som, fonema por fonema para o idioma de destino, de modo que a pronúncia original seja preservada. Já, a Tradução, é o meio pelo qual podemos transformar uma palavra, uma frase ou, um texto de uma língua para outra!

 

 

Mas afinal de contas, como surgiu o Nome Jesus?

 

Ter essa resposta é muito IMPORTANTE ! E, porque assim afirmamos? Porque a compreensão de como surgiu o nome Jesus, ajuda-nos a perceber como se deu a corrupção do Nome que tem por significado: Ele Salvará/ Ele Libertará. 

 

Diante disso, para compreendermos como surgiu o nome Jesus, teremos como ponto de partida, o hebraico bíblico, o qual os eruditos Yehudim traduziram, para o grego Koiné.

 

Assim fazendo, observamos que Hoshua, filho de Num, ao receber a missão de suceder Moshe, em liderar o povo rumo a terra prometida, recebeu um novo Nome. E que nome foi esse? A resposta é: יהושע (Yahushua - pela emuna fazemos uso desse Nome, porém, há quem faça uso de Yehoshua). É esse nome que representa a libertação para o povo que, o Soberano Criador dos céus e da terra, tomou para si e, disse: tu és meu! É esse nome יהושע que vemos registrado NÃO apenas na TORA, ou seja, nos cinco primeiros livros da bíblia, mas também em outros escritos hebraicos do período que antecede ao cativeiro babilônico, dos quais podemos citar: Yahushua(Josué); 1Reis; 1Cr 7:27; Juízes...

Vejamos o Nome יהושע em destaque na foto abaixo:

 

Após o cativeiro babilônico, deparamo-nos com os Yehudim da Diáspora, os quais desejavam reaver os ensinos da Torah(Lei/Instrução) , de modo que, assim fazendo, tais ensinos não caissem no esquecimento, ao contrário! O interesse dos Yehudim era, manter preservardo os ensinos que lhes fora transmitidos pela Torah.

 

Entretanto... a grafia do nome יהושע concedido a Hoshea, não é encontrado nos Escritos hebraicos, datados do período Pós Diáspora! O que encontramos nesse período é a escrita Defectiva/Reduzida desse nome, a saber: ישוע, cuja pronúncia segundo os que nos fora transmitido pelos eruditos Yehudim é: Yeshua.

 

É essa pronúncia que, de acordo com estudiosos, era a mais usual naquela época e, testificada nos seguintes livros: Neemias; Esdras; Zacarias, além de evidências arqueológicas, como a que foi encontrada em um Ossuário, datado do Século I EC, onde lemos o seguinte: " Yaacov, filho de Yosef e, irmão de Yeshua", conforme podemos observar na figura abaixo:

 

 

Caso o leitor queira saber mais sobre o nome do Ungido, acesse o link: www.oholyao-em-queimados-rj.com.br/estudos-escriturais/o-verdadeiro-nome-do-messias-ungido/

 

Bom... precisamos ter em mente o seguinte: a respeito do nome do Ungido, o que encontramos em textos pós diáspora é a grafia Reduzida, ou seja: ישוע. Sim... sabemos que o nome concedido a Hoshea, é o mesmo nome concedido ao Ungido, PORÉM, precisamos nos atentar para a seguinte questão: na cultura judáica, é comum fazer uso de formas reduzidas de nomes próprios! O melhor exemplo a ser citado, é o nome do Criador! Sabemos que sua grafia, na forma plena/completa, é formado por 4(quatro) consoantes, a saber: YHWH/IHVH, porém, também encontramos nos textos hebraicos, a forma reduzida desse nome, são elas: 

 

1 - o digrama YH( pronunciamos Yah); 

 

2 - o trigrama YHW( pronunciamos Yahu quando Yhw aparece no final de nome próprio; pronunciamos Yeho/Yehu quando Yhw aparece no início de nome próprio); 

 

3 - a forma contracta do trigragrama, a saber: YW(pronunciamos Yo: Yohanan(Yehohanan - YHWH favoreceu; Yoayqim(Yehoayaqim - YHWH estabeleceu;  YoEl( YehoEl - YHWH é EL/Poderoso...)



Leia mais: https://www.oholyao-em-queimados-rj.com.br/estudos-escriturais/o-verdadeiro-nome-do-messias-ungido/

 

 

Relembrando…

 

Vimos que no início, o nome concedido a Hoshua( corrompido para Josué) é, semelhante ao do Ungido de Elohim. Esse Nome é constituído por 5 (cinco) consoantes, são elas: (Iod, Hê, Vav, Shin, Ain) e, após o exílio babilônico, passou a ser grafado e, pronunciado em sua forma reduzida, a qual contém apenas 4 consoantes, são elas: Iod, Shin, Vav, Ain). A redução na grafia, resultou automaticamente, numa pronúncia reduzida do nome original, porém de acordo com as evidências textuais, era essa, a forma comum usada pelos Yehudim no período pós diáspora, que de acordo com as evidências textuais, tinha como pronúncia: Yeshua.

 

Por volta do Séc III AEC, havia em Alexandria – Egito - como já dissemos anteriormente, uma grande comunidade formada por Yehudim, os quais manifestaram interesse, em ter traduzido para o grego, a Torah, de modo que os ensinos ali contidos fossem preservados e, o entendimento do que nela estava escrito, pudesse ser alcançado.

 

E, nisso, a respeito do que se refere ao Nome do Ungido, os eruditos ao se depararem com a forma reduzida, ישוע, o transliteraram da seguinte forma:

- o Yod (י) foi transliterado para IOTA ( Ι), o qual tem som de I;

- Inseriram a vocalização da letra Eta (η) , a qual tem som de E;

- o Shin (ש) foi transliterado para SIGMA (σ), o qual tem som de S;

- o Vav (ו) foi transliterado para ÔMICRON (ο), o qual juntamente com a letra úpsilon/ípsilon(υ), dá o som de U;

 

- o Ain (ע) Não teve transliteração para o grego, visto que nesse idioma a letra mais próxima que poderia corresponder ao Ain é o Alfa, mas segundo os estudiosos da língua grega, o uso da letra Alfa se dá em palavra feminina... o que não é o caso do Nome do Ungido! A solução encontrada pelos eruditos Yehudim, para esse "impasse",  foi optar pelo uso da letra SIGMA ( ς ) no lugar do Ain, obtendo dessa forma a seguinte transliteração em grego, no que diz respeito ao nome do Ungido:  IESOUS ( pronunciamos: Iesus).

 

Bom... agora que já vimos como se deu a tradução do Hebraico, para o grego koiné, tradução essa, que se deu entre o Século III e I AEC (Antes da Era Comum), conhecida por Septuaginta, convém mencionarmos o seguinte: Com a queda do domínio grego, frente ao Império Romano, deu-se a tradução da Septuaginta para o Latim. 

 

Essa tradução ficu conhecida por Vulgata, forma latina abreviada de "Vulgata Editio", como também de " Vulgata Versio", ou "Vulgata Lectio", tendo por significado: edição; tradução ou leitura de divulgação popular e, surgiu no Século IV EC(Era Comum), onde o Bispo Dâmaso, encarregou o Padre Jerônimo, para traduzir o livro de Saslmos e, o Novo Testamento, da Septuaginta para o Latim. Em sua versão, Jerônimo usou o nome IESUS para se referir ao Ungido. Essa versão Vulgata, consolidou-se na primeira metade do Século XVI e, durante muito tempo foi considerada, texto oficial pela Igreja Católica.

 

De acordo com a história, coube a João Ferreira de Almeida(Sec XVII) a tarefa de traduzir pela primeira vez para o português, o Antigo e o Novo Testamento. O fato dele conhecer o hebraico e o grego, possibilitou-lhe o uso dos manuscritos nesses idiomas, tendo como padrão(modelo) e/ou fundamento de sua obra, o Textus Receptus ( Textos Recebidos – os quais formavam uma série de impressões em grego), do grupo Bizantino.

 

João Ferreira de Almeida, em seu trabalho de tradução da Bíblia para o português, também fez uso das seguintes versões: Holandesa, Francesa(Tradução de beza), Italiana, Espanhola e, Latina(Vulgata). Todas essas traduzidas do hebraico e, do grego.

 

Ao traduzir o Novo Testamento para o português no início do Século XVII, Almeida optou por usar IESU em sua tradução, ao referir-se ao Ungido e, a conclusão se deu em 1676, sendo nesse mesmo ano remetido a Batávia para ser impresso, porém o lento trabalho de revisão, a que a tradução foi submetida, fez com que João Ferreira a retomasse e, a enviasse para ser impressa em Amsterdã, Holanda. Finalmente em 1681, surgiu o primeiro Novo Testamento em português.

 

De acordo com estudiosos e, historiadores, milhares de erros foram encontrados no Novo Testamento de Almeida, muito deles cometidos pela comissão de eruditos que tentou harmonizar o texto português com a tradução holandesa de 1637.

 

O próprio Almeida identificou mais de 2000 erros nessa tradução do Novo Testamento e, outro revisor, Ribeiro dos Santos, afirmou ter encontrado um número bem maior. O que NÃO significa, em nossa opinião que, com o passar dos anos, tais erros não tenham sido corrigidos! É preciso saber nos conceituarmos dentro do tempo em que estamos! Ora, se foram identificados no passado mais de dois mil erros, em meio a tantas revisões bíblicas, realizadas nos dias atuais por uma série de estudiosos das Escrituras, porventura, deixariam estes, passar desapercebidos tais erros? 

 

Em razão de Almeida ter falecido, antes de terminar a tradução do Antigo Testamento( conseguiu concluir até o livro de Ezequiel 41:21), tal missão em traduzir o Antigo Testamento para o português, ficou a cargo de seu sucessor, Jacobus, o qual optou em substituir IESU por JESU.

 

Uma observação a ser feita é a seguinte: Iesu é o mesmo que Jesu! Da mesma forma, Iesus é o mesmo que Jesus! E, por que assim afirmamos? Porque a letra J, era conhecida na Europa Medieval, como sendo um som alongado da letra "i" e, o seu uso se dava no início da palavra e/o de nomes próprios. Dessa forma, qualquer nome que começasse com a letra "i", era grafado com a letra J.

 

Mas... quanto a esse assunto, falaremos mais adiante...

 

Continuando...

 

Em 1753, foi impressa a primeira Bíblia completa em português, ou seja, em meados do Século XVIII. Enquanto que no Brasil, as publicações iniciais, deram-se no início do Século XIX, as quais publicações eram parciais. A primeira se deu em 1847, em São Luiz do Maranhão, onde o Novo Testamento foi traduzido por Frei Joaquim de Nossa Senhora de Nazaré, cuja tradução, baseou-se na Vulgata.

 

E, por fim, A Sociedade Bíblica do Brasil inseriu a letra S, na palavra JESU, resultando dessa forma ao que hoje é conhecido em nosso idioma por Jesus, o que na verdade, é o correto, visto que, como já dissemos, a letra J era usada na Europa Medieval para designar o som alongado da letra "i". Portanto, quando nos deparamos com o nome Jesus, a pronúncia que temos é Iesus! 

 

Como podemos perceber, Jesus, ao contrário do que muitos imaginam e, o que nós, outrora também imaginávamos, NÃO é um nome recente! E, por que assim afirmamos? Porque Jesus é Iesus! E, como já vimos, esse nome Iesus consta em textos datados do século II EC, grafados nna forma Nomina Sacra: IC, conforme podemos observar na figura abaixo:

 

Vejamos abaixo como era apresentado “Jesus” nas Escrituras, ao decorrer dos séculos:

 

Foto 1 – Datada do ano 1582, Seculo XVI: Observem que nesse período, o nome usado para se referir ao Salvador era a versão grega, IESVS CHRIST (pronunciamos: IESUS CRISTO ). 

 

 

Foto 2 - Datado do ano de 1621, Sec XVII: Observem atentamente que nesse período, o nome usado para se referir ao Salvador, continuava sendo a versão grega, IESVS(pronunciamos IESUS).

 

 

Foto 3 – Datado do Século XVII. Abaixo vemos a forma IESU, a qual foi apresentada pelo padre João Ferreira de Almeida, em sua tradução do Novo Testamento para o português.

 

 

Foto 4 – Datado do ano 1675, Sec XVII: Abaixo podemos observar a forma JESU, adotada por Jacobus, em substituição a forma anteriormente usada por João Ferreira de Almeida, a saber: IESU.

 

 

Agora sim, abordaremos a respeito da letra J. E, ra começar, abordaremos como se deu o surgimento dessa letra... 

 

Como surgiu a letra J, existente no nome Jesus?

 

Em busca dessa resposta, fizemos uso de duas fontes: a Enciclopédia Delta Universal e, a Enciclopédia Barsa, de modo a compreendermos como uma letra que até então Não existe no hebraico, nem no grego, nem no latim, surgiu em nosso idioma português.

 

Compreender a forma como a letra J passou a fazer parte da Bíblia em português, é o que propomos mostrar ao leitor, através desse estudo, de modo que, conheçamos as variações sofridas no Nome do Ungido no decorrer dos séculos.

 

De acordo com as fontes acima citadas ( Enciclopédias), a letra i no início desempenhava dois papéis: o de vogal e, o de consoante! Embora havendo essa diferença entre a escrita e, o som que se esperava obter da letra i, em algumas palavras, buscou-se através do alongamento da letra i, um meio para solucionar essas diferenças existentes.

 

Vejamos na figura abaixo, as informações fornecidas pela Enciclopédia Barsa, a respeito da letra J:

 

 

Acerca da letra J, precisamos ter em mente o seguinte: o período da Idade Média vai do Sec.V ao Sec XV e, o uso dessa letra, deu-se por volta do ano 1200 (Sec XIII) e, em nosso idioma, por volta do ano de 1500(Sec.XV). Daí compreendermos, o uso da letra J no nome Jesu, por Jacobus, em substituição do nome IESU adotado por João Ferreira de Almeida.

 

Ao concluir o Antigo Testamento, trabalho esse iniciado por Almeida, no Sec XVII, Jacobus faz uso da letra J, a qual já era conhecida na Europa Medieval, como um som alongado da letra i, sendo usada no início da palavra e/ou nome. Dessa forma, qualquer nome que começasse com a letra i, era grafado com a letra J. Por isso, vemos nomes, tais como, Ieremias serem escritos como Jeremias; Ionas ser escrito como Jonas; Ioaquim ser escrito como Joaquim; Iuda ser escrito como Juda…

 

Convém mencionarmos, também, que embora nos diversos idiomas seja possível encontrarmos letras semelhantes, não significa que o som obtido delas também sejam! Tomemos como exemplo, a própria letra J! Em nosso idioma tem som de Jê (ex.: Jeremias) ; em inglês som de Djê (ex.:James – pronunciamos: Djêimes); no espanhol tem som aspirado de r ( ex.: Juan – pronunciamos: Ruan).

 

Assim sendo, de acordo com as fontes bibliográficas, a letra J não é um acréscimo, mas sim um alongamento da letra i.

 

De qualquer forma, IESOUS, IESU, JESU, JESUS, NÃO corresponde ao verdadeiro Nome do Salvador ! E, assim afirmamos, pela seguinte razão: A transliteração do Nome Yeshua, para o grego, não se deu de uma forma... digamos assim... perfeita, visto que, em razão da letra Ain, não encontrar no idioma grego, um som similar a ele, usou-se então, no final do nome do Ungido, a letra Sigma, de modo que essa "transliteração" mantivesse quatro consoantes, como contém o nome em Hebraico na sua forma reduzida! Porém, como já vimos, a letra mais próxima do Ain, seria a letra Alfa, mas o uso desta, se dá em nomes femininos!!

 

Cremos que, melhor teria sido, a preservação do nome na escrita em hebraico... mas, nosso pensar é do dia presente e, aqueles homens(eruditos) viviam em uma outra época, com recursos limitados em relação ao que temos nos dias atuais.

 

Assim sendo, por acreditarmos que, IESUS é uma má transliteração do Nome Yeshua e, que JESUS é o mesmo que Iesus, tanto um quanto o outro, NÃO pode ser o Nome do Ungido, logo não trazem consigo, o poder para salvar o homem do pecado. 

 

Por isso é importante perseverarmos no conhecer a Yahu(YHW), de modo a compreendermos o seguinte: o receber a Verdade, NÃO é uma simples TR0CA DE NOME! Quando se troca o Nome Verdadeiro por um falso, o resultado que se obtém é a permanência da pessoa na ignorância; no seu estado de pecado, o qual faz a separação entre o Altíssimo YHWH e o homem.

 

 

É verdade que Jesus no hebraico é Deus cavalo e, no latim é Deus porco?

 

Há quem diga que Jesus é deus cavalo, porque SUS no hebraico é cavalo e, outros afirmam que Jesus é deus porco, porque SUS no latim é porco! Mas o que as pessoas NÃO se atentam é para o seguinte fato: Sendo Jesus uma palavra portuguesa, como então buscar defini-la ou conceituá-la fazendo uso de outros idiomas? O certo é buscar no idioma em que foi criado, seu significado, e no nosso idioma, português, até o momento SUS tem como significado: Sistema Único de Saúde.

 

Sendo Jesus uma "transliteração" de Iesous (lê-se IESUS), não tem como este, significar Deus cavalo, visto que no idioma grego, SOUS (lê-se SUS), não é cavalo! No grego, a palavra usada para definir cavalo é Hippos!

 

Um outro ponto importante a mencionar é que Je(Ye) Não significa deus, nem no hebraico, nem no grego, nem no latim! E, isso é facilmente constatado quando analisando as Escrituras e, deparamo-nos no hebraico, com o termo Elohim, o qual foi traduzido para o grego como Theos e, no latim, foi traduzido como Devs (lê-se Deus).

 

É bem verdade que Jesus NÃO é o Nome do Messias, mas também não podemos compactuar com afirmações errôneas que são dadas a respeito dele.

 

Diante do que temos aprendido, interpretar nomes ou pedaços de nomes em outros idiomas com o objetivo de atribuir novos significados para o nome original, tem como resultado, conceitos completamente errôneos!

 

 

Mas como ficam os milagres realizados nesse nome Jesus?

 

Há quem diga assim: “mas nesse nome Jesus fui curado(a), consegui largar o vício, passei a ser um bom marido, um bom pai, uma boa esposa, uma boa mãe, um bom filho(a)…, e agora ouço falar que esse nome é falso? Como pode, visto que nele eu consegui tudo o que tenho e, o que sou?

 

Infelizmente, para algumas pessoas é difícil acreditar que, aquele que Jesus, o qual desde pequenos ouvem falar que é o Salvador da humanidade, seja um impostor! E, assim acontece, porque não se atentam para o fato de que: aquele que invocamos é quem nos governa! Estes, diante da Verdade que lhes é apresentado, argumentam que na sua onisciência, o Criador sabe a quem eles estão realmente adorando, pois para Ele o que importa não é o nome que invocamos, mas sim, o que vai no nosso coração! Só que NÃO é isso que as Escrituras nos ensinam! Ao contrário, o que as elas nos revelam é que “somente em UM ÚNICO NOME HÁ SALVAÇÃO! E todos quanto invocarem esse NOME, será salvo.

 

De uma coisa, podemos ter a certeza: Jesus NÃO é aquELE apresentado nas Escrituras, como sendo o meio pelo qual o homem pode receber do Yahu(Yhw), a remissão de seus pecados!

 

É bem verdade que no meio em que o nome Jesus é invocado, como por exemplo, nas Igrejas Católicas, Protestantes, na Umbanda, no Espiritismo, ocorrem diversos milagres, mas o que as pessoas NÃO se atentam é para o seguinte fato: o nome em que esses milagres são realizados, NÃO É O VERDADEIRO NOME DO UNGIDO! E, compreender isso é fundamental, pois este ser Jesus em seu nome, opera sinais e maravilhas, de modo a manter presos, os que baseiam sua fé, em milagres! O que estes não percebem é, que milagres são realizados em qualquer lugar, MAS Salvação somente em um ÚNICO NOME pode ser alcançada, a saber no Nome YHWH, o qual concede a todos que o invocam, sua Salvação revelada na Pessoa de seu Filho Yahushua.

 

 

Finaizando...

 

Respondendo a pergunta feita no início desse nosso estudo: "quem é Jesus?", a nossa resposta é: Jesus é a transliteração da forma grega: IESUS. E, entender isso, é fundamental, para não sairmos por aí, apregoando ensinos errôneos!

 

Outro ponto importante a mencionar é: Iesus, no que temos, até aqui aprendido, NÃO representa a transliteração fiel do nome Yeshua, logo, para nós, NÃO faz sentido associarmos Jesus, com o nome hebraico, Yeshua!

 

Também, Não é nosso objetivo, impor a quem quer que seja, que nome a pessoa deve ou não, fazer menção e/ou, depositar sua confiança, mas sim, mostrar ao leitor que, Jesus não é o nome do Ungido! E, do mesmo modo, mostrar que, Jesus, não é um nome recente, como muitos afirmam! Porém, mesmo sendo um nome antigo, muuiiito antigo, NÃO corresponde ao Nome do Ungido, descrito nos textos bíblicos.

 

A quem desejar saber mais, a respeito do nome do Ungido, sugerimos os seguintes estudos:

 

www.oholyao-em-queimados-rj.com.br/estudos-escriturais/o-verdadeiro-nome-do-messias-ungido/

 

www.oholyao-em-queimados-rj.com.br/estudos-escriturais/por-que-yeshua-nao-pode-ser-o-nome-do-ungido-de-ulrrim/

 

 

Contato

Oholyao em Queimados RJ

oholyaodeiaurrushua@gmail.com

Pesquisar no site

© 2014 Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode