É a Alma Imortal?

 
 
Compreendermos a respeito do que é Alma, ajuda-nos na compreensão de outros conceitos fundamentais para a edificação de nossa emunah, tais como a necessidade do arrependimento de obras mortas, a ressurreição dos mortos e, do juízo eterno. Cientes disso, no estudo anterior, conceituamos o que é Alma e, como esse conceito chegou até nós após a influência dualista da religião Persa e, da filosofia grega, no judaísmo e, consequentemente nas demais religiões que vieram após este. 
 
Daí a importância de nos atentarmos para uma contextualização cultural, geográfica, política, histórica, social e, econômica das sociedades envolvidas, de modo a compreendermos o quanto a influência dualista contribuiu no campo das idéias, para uma nova "roupagem" no que diz respeito a forma com que o homem passou a compreender sua natureza humana e espiritual.
 
Vimos no estudo anterior que, existem três linhas doutrinárias que abordam acerca do que é Alma:
 

1ª) o Holismo: conceito holista da natureza humana, apregoa que o ser humano não tem uma alma: ele  É UMA ALMA (Nefesh). Ele vive como uma alma, ele morre como uma alma. Neste conceito, uma alma vivente significa tão somente, um “ser vivo”, um ser completo, que ao morrer, morre por inteiro, ou seja, a Nefesh que somos, morre! Daí segundo esse conceito, a alma é mortal, pois na visão holística, alma é o Ser vivente em toda sua totalidade!

 
Dentre os textos em que se baseiam para defender a doutrina holística, está o que se encontra em Gn 2:7, onde é revelado que o homem “TORNOU-SE” uma alma (Nefesh) e, NÃO que ele “obteve” uma!  
 
A alma (Nefesh) é o que o homem passou a ser, e não o que ele obteve de Elohim. O corpo é a alma (Nefesh) em sua forma exterior. A ideia hebraica de personalidade é a de um corpo animado pelo fôlego de vida (Nishamah cha-aim) que alimenta o corpo, e não de uma alma presa dentro deste corpo. Portanto, no conceito holístico, SEM esse fôlego de vida, a Nefesh deixa de existir, isto é, Ser que outrora era vivo, morre.
 
2ª) o Dualismo: No conceito dualista, o ser humano possui um corpo e, uma alma, a qual, segundo os dualistas, é imortal e, está presa dentro desse corpo, corruptível e, somente com a morte deste, a alma torna-se liberta, indo para o céu ou para o inferno.
 
Essa visão dualista, defende que o sopro de vida que Yahu soprou nas narinas do homem, é a própria alma imortal implantada no ser humano. Sendo assim, o sopro de Yahu é o espírito (alma) imortal implantado nele, totalmente independente/ou distinto do corpo, preso dentro deste e, liberto após a morte, com consciência e personalidade.
 
Dentre os textos em que se baseiam para defender a doutrina dualists, está o que se encontra em Luz 16:19-31. O que os dualistas NÃO entendem é, que o propósito dessa parábola NÃO está em apregoar a importalidade da "alma", a qual na concepção destes é apresentada como sendo imortal! Logo, para estes, o que torna par ao pó, é tão somente o corpo, enquanto que a "alma" por se imortal lhe é reservado o seguinte destino: céu para os justos, os quais aguardam a ressureição em descanso; ou inferno para os ímpios, os quais aguardam em tormento o dia do juízo. 
 
O que precisa ficar claro é que o PROPÓSITO dessa prábola é o seguinte: mostrar-nos que na dureza do coração do homem, AINDA que seja enviado a este homens da parte do Yahu para falar-lhes a respeito de salvação; para exorta-los de modo que se arrependam de seus maus caminhos; ainda que estes vejam sinais, maravilhas e prodígios... ainda assim continuarão cegos, surdos, enfermos, perdidos, pois o deleite destes, está em satisfazer a si mesmos e, NÃO a vontade do Yahu! O homem que assim procede, tem como seu Rei e Governante, o seu próprio ego!

 

3ª) a Tricotomia: Destacamos abaixo o esse conceito apregoa, vejamos:

a  - o homem é espírito(ruach), logo, por assim ser, ele tem conhecimento de Elohim, visto que essa parte que o compõe, é o que o leva a se relacionar com o Criador;

b - o homem é alma, logo ele tem conhecimento de si mesmo através do intelecto. É na alma que encontramos as emoções e, é ela que revela a personalidade do homem;

c - o homem possui um corpo e, através deste, entra em contato com o mundo material/físico, através dos sentidos e, percepção do mundo.

 

E, nisso, surge-nos o seguinte questionamento: uma vez pois, que a salvação vem dos Yehudim, qual dessas doutrinas que eles apregoavam antes e, depois do exílio babilônico? Buscar resposta para essa pergunta, ajuda-nos a compreendermos a forma como os Yaohudim interpretavam o conceito de Alma e, como eles criam no efeito da morte sobre ela(Alma), ou seja: na visão dos Yaohudim, a Alma era ou não imortal?

Diante disso, para adentrarmos no que diz respeito a Imortalidade da Alma, precisamos antes de tudo, termos bem definido em nossa mente, o seguinte:

1 - o conceito de Alma que chegou até nós, NÃO exprime na íntegra, o seu real significado dentro das Escrituras e, isso é facilmente observado quando recorremos ao hebraico e, deparamo-nos com o termo NEFESH, o qual dependendo do contexto em que está inserido, pode designar pessoa(s), ser, seres, vida;

2 - precisamos também ter bem definido em nossa mente, o  conceito do que é Vida e, o que é morte, ou seja, compreender o que fez com que o homem criado por Yahu, do pó da terra e, em sua forma completa, ou seja, com TUDO que o compõe, saísse do seu estado de inércia/estático, para um estado de vitalidade/vigor, tornando-se assim, uma NEFESH HAYAH, isto é, num Ser humano com vida, num Ser vivente;

3 - a formação do ser humano, deu-se através de dois componentes: Pó da terra e, Fôlego de vida. Portanto, é ERRADO afirmar que na criação deste SER humano foi inserido dentro dele, uma Alma.

 

Observem atentamente nos textos abaixo as palavras em destaque: Nefesh Hayah e, percebam que no processo de criação de Elohim, quer seja no que tange a criação do homem e, quer seja na criação dos demais seres que o antecederam, Nefesh haya encontra-se presente:

Gn 1:20 “ E disse Elohim: Produzam as águas cardumes de seres viventes(nfesh haya) e, voem as aves acima da terra no firmamento do céu.” Criou, pois, Elohim os monstros marinhos e, todos os seres viventes que se arrastavam...”

 

Gn 1:21 "Criou, pois, Elohim, os monstros marinhos e, todos os seres viventes (nefesh haya) que rastejam, os quais povoam as águas, segundo as suas espécies; e todas as aves, segundo as suas espécies. E viu Elohim que isso era bom." 

 

Gn 1:24 " E disse Elohim: Produza a terra seres viventes(nefesh haya) segundo as suas espécies; animais domésticos, répteis e, animais selvagens segundo as espécies e, assim foi."

 

Gn 2:7 " E formou YHWH Elohim o homem do pó da terra e, soprou-lhe nas narinas o fôlego de vida(nichamat cha-aim) e, o homem tornou-se alma vivente(nefesh hayah).

 

Observem que nos três primeiros textos de Genêsis (1:20; 1:21; 1:24) citados acima, o termo NEFESH HAYA, usado para designar todos os animais criados por Yahu e, aos que segundo a sua ordem, foram produzidos pela terra e, pela água, foi traduzido por SERES VIVENTES, mas esse mesmo termo, NEFESH HAYA, usado para designar o homem criado por Yahu, foi traduzido por ALMA VIVENTE! Por que será?

Como podemos perceber, tanto os animais selvagens, quanto os animais que se rastejam, que voam acima da terra e, no firmamento do céu, bem como os animais aquáticos, bem como as ervas da terra e, as árvores frutíferas e, do mesmo modo, o homem são Seres criados por IÁURRU, isto é, são NEFESH ( נפש  ), mas com uma DIFERENÇA e, que diferença é essa? A que está relacionada ao processo de vivificação dessas Nefesh. 

De acordo com as Escrituras, as Nefesh criadas antes do homem, deram-se a partir de uma ordenaça do Yahu sobre as águas e, a terra. E que ordem foi essa? A DE PRODUZIREM NEFESH HAYA! E, assim sendo, segundo a palavra do IÁURRU, as águas e, a terra produziram cada uma, seus seres viventes, isto é, suas Nefesh Haya ( נפש היה ). Como podemos perceber, a ordem e/ou, a palavra do Yahu deu vida aos seres produzidos pelas águas e, pela terrra. Já, no que diz respeito a criação do homem, o seu processo de vivificação, deu-se a partir do momento em que este, recebeu do Yahu o fôlego de vida, isto é, a Nichamat Cha-aim.

O que podemos concluir com essas palavras? A resposta é: TUDO o que Yahu criou tem vida, porque ELE é a própria vida, dELE emana a existência de tudo o que foi feito e, de tudo o que há. Portanto, precisamos ter em mente o seguinte: tudo o que Yahu em princípio criou, é uma Nefesh e, essa Nefesh tem vida! Na terra há vida, na água há vida, nos minerais há vida, nos vegetais há vida, nos animais há vida, no homem há vida, logo estes são uma Nefesh Haya ( Seres Viventes), lembrando mais uma vez que, a vivificação do homem, deu-se de maneira distinta dos demais seres viventes, pois ULRRIM não apenas determinou a criação deste a sua imagem e semelhança, mas também criou de si mesmo, o fôlego da vida, afim de que, soprando-o nas narinas do homem, este passasse a ter vida, tornasse uma NEFESH HAYAH.

Diante disso, podemos afirmar o seguinte: quando Yahu criou o homem, Ele o criou completo, de modo que tudo o que o compõe, esteja em unidade com este Ser humano, sem divisão, sem independência. Daí compreendermos que a mão direita não é maior nem melhor que a esquerda, nem os olhos mais importantes que que os ouvidos, pois tudo faz parte da mesma NEFESH, isto é, faz parte do mesmo Ser criado por Yahu. Assim sendo, a partir do momento em que o homem foi criado, na sua formação temos: corpo, emoções, intelecto, órgãos sensoriais, cérebro, coração, pulmão, rins, nervos, vasos sanguíneos, dentre outros, porém todos esses componentes, juntamente com o homem criado, estavam desprovidos de ação, estavam inertes, ou seja, não possuiam vitalidade, MAS a partir do momento em que Yahu soprou nas narinas deste homem, a sua nishamat cha-aim, ele e todos os componentes vitais que o compõe, foram ativados, tornando-o em um SER VIVO/um Ser Vivente e, aí...o coração deste homem, começou a bater e, a bombear o sangue, o qual passou a fluir nas veias, irrigando e, oxigenando o cérebro. Nesse momento o homem, passou a ter conhecimento de sua própria existência.

Um exemplo que podemos citar para tornar ainda mais fácil o entendimento acerca da criação do homem é o seguinte: Imagine o leitor, uma pessoa que há um bom tempo anseia comprar uma televisão nos padrões que ele sempre desejou. Essa pessoa após ter o valor para comprar a tão sonhada televisão, vai até uma loja de eletro domésticos e, a compra. Ao ir no estoque da loja retirar a televisão, o funcionário mostra todos os componenteS que acompanhavam o aparelho, isto é, a tomada, os plugs e, o controle remoto. Constatando que estava tudo em ordem com o aparelho, isto é, ele estava COMPLETO, o homem a levou pra sua casa e, lá chegando, a tirou da caixa e, em seguida conectou os fios e plugs que acompanhavam a televisão, mas enquanto o homem NÃO ligou a televisão na tomada e apertou o play, ela continuava estática, ou seja, na mesma condição que estava no estoque da loja, isto é, apenas ocupando espaço, sem utilidade alguma, mesmo tendo todos os aparatos para desempenhar a sua função!

Em outras palavras, o que queremos explicar é o seguinte: da mesma forma que a televisão ao ser fabricada, é acompanhada por outros componentes fundamentais para o seu funcionamento, não havendo energia e, alguém para apertar o play, ela não funcionará. O mesmo, deu-se na criação do homem, isto é, não bastou criá-lo completo com todos os componentes fundamentais para sua existência, fazia-se necessário ativá-los, de modo que o funcionamento desses componentes testificassem que o homem criado, possuia VIDA! Que o homem criado, era um Ser Vivente! E, de que modo se deu esse processo de vivificação? E a resposta é: através da nishamat cha-aim ( fôlego de vida), o qual VIVIFICOU a Nefesh em sua totalidade, concedendo-lhe assim, percepção do que se passava a sua volta, através do sentidos manifestados através do seu corpo.

Convém mencionar que, embora muitos acreditem e apregoem que, na criação do homem, formou-se um corpo do pó da terra e, dentro deste corpo foi inserido uma "alma", a qual mesmo após a morte, continua consciente do que se passa a sua volta, com lembranças da vida que viveu, ao analisarmos as Escrituras, percebemos que esse tipo de pregação NÃO condiz com o ensinos escriturais. Afirmar que com a morte do justo, a "alma" deste vai para o céu, aguardando em descanso o dia da ressureição, enquanto que a do ímpio fica no sheol em tormento, aguardando o dia do juízo, NÃO FAZ SENTIDO, NÃO tem base de sustentação NAS ESCRITURAS, pois a mesma, em NENHUM MOMENTO afirma que um corpo foi criado do pó da terra, MAS SIM que o HOMEM foi criado do pó da terra, portanto precisamos entender que é O SER em sua totalidade que torna ao pó! Precisamos entender que com a morte, o que temos de acordo com as Escrituras é, o DESCANSO, o SONO! Portanto, de acordo com as Escrituras, tanto o justo quanto o injusto, descansam no pó e, na ressureição um ressuscitará para a honra e, o outro para a desonra.

Atentar-se para esse fato, é muito importante! E, por que assim afirmamos? Porque quando não conseguimos discernir que o homem NÃO É um CORPO, MAS SIM UMA NEFESH em sua totoalidade, ou seja, um SER completo, cuja formação se deu através de dois elementos: PÓ DA TERRA e, FÔLEGO DE VIDA, dificilmente conseguiremos compreender que, com a morte, o que torna ao pó NÃO é o corpo, MAS SIM o Homem em sua totalidade, o Ser completo. Portanto essa teoria de que com a morte, a alma sai do corpo, fica vagando feito alma penada, ou vai para o céu, ou para o inferno, NÃO TEM SUSTENTAÇÃO NAS ESCRITURAS! O que temos aprendido com as Escrituras é o seguinte: com a morte, o homem feito do pó da terra, torna para o pó, juntamente com tudo que o compõe. Por isso, no pó, não há lembrança, não há louvor, nem mesmo a ira, a cobiça, a ganância, a injustiça, a bondade, a maldade, a coragem, a covardia, o medo e, a ousadia... enfim, com a morte, tudo jaz no pó!

Diante disso, convém ressaltar o seguinte: Na ausência do Fôlego de vida(nichamat cha-aim), o homem torna para o pó, do qual foi feito e, essa nichamat cha-aim/Ruach da Vida, torna para aquEle a quem pertence, àquEle que o concedeu ao homem, a saber: Yahu.

Atentem-se agora para os textos abaixo:

Gn 3:19 " No suor do teu rosto comerás o teu pão, até que tornes a terra, pois dela fostes formado; porque TU (grifo nosso: homem) és pó e, ao pó tornarás."

Eclesiastes 12:7 " E o pó volte à terra, como o era, e o espírito( Ruach Haya) volte a Elohim, que o deu."

 
Observem que nos textos acima, Yahu NÃO diz que é o corpo que torna ao pó, MAS SIM O SER, ou seja, o HOMEM, o qual foi criado do pó da terra, em sua totalidade. Daí compreendermos que o que é pó, torna para o pó, mas o que é de Elohim, torna para Elohim.
 

Agora, que já fizemos um breve resumo acerca do que foi abordado no estudo anterior: " Compreendendo a respeito do que é Alma", melhor dizendo: o que é NEFESH, convém mencionarmos um ponto importante, o qual diz respeito ao FÔLEGO DE VIDA. Falarmos sobre esse assunto, ajuda-nos a obtermos mediante à luz das Escrituras, uma melhor compreensão a respeito do que nos propomos abordar nesse estudo: É ou não a Alma Imortal?

 

COMPREENDENDO A RESPEITO DO QUE É FÔLEGO DE VIDA -  NISHAMAT CHA-AIM

 

Como já vimos anteriormente, quando Yahu criou o homem do pó da terra, este foi criado completo, isto é, com tudo que o compõe. Vimos também que esse mesmo homem, criado por Yahu, em princípio era tão somente um Ser humano, em um estado inerte/estático e, que para se tornar uma NEFESH HAYAH (Ser Vivente) precisava receber daquEle que o criou, vida! E, é justamente nesse ponto que queremos chegar. 

Observem que através do fôlego soprado por Yahu nas narinas do homem, é que este se TORNOU em um Ser Vivente, ou seja, uma NEFESH HAYAH. É esse fôlego que vivificou o homem criado do pó da terra, juntamente com tudo o mais que o compõe, tais como: coração, cérebro, pulmão, os órgãos digestivos, os músculos, os órgãos sensoriais, as emoções, dentre outros. Enfim, o homem em toda sua totalidade foi vivificado, de modo a tomar conhecimento do que se passa a sua volta, bem como de sua própria existência.

Diante disso, de acordo com as Escrituras, o que nos torna Seres viventes, isto é, pessoas com vida, é esse fôlego do Yahu soprado nas narinas do homem e, a partir do momento que esse fôlego nos é retirado, o que antes era uma NEFESH HAYAH, passa a ser uma NEFESH sem vida, ou seja, uma NEFESH MORTA.

Vejamos os textos abaixo: 

Gn 7:22 Tudo o que tinha fôlego de espírito de vida( Nichamat Ruach Cha-aim) em suas narinas, tudo o que havia em terra seca, morreu."

 

Deuteronômio 20:16 " Porém, das cidades destas nações, que YHWH teu Elohim te dá em herança, nenhuma coisa que tem fôlego (Nichamah) deixarás com vida."

 

Joué 11:11 " E a todos os que nela estavam, feriram ao fio da espada, e totalmente os destruíram; nada restou do que tinha fôlego, e a Hazor queimou a fogo."

Observando as versões: Almeida Corrigida e Revista e Atualizada, percebemos que no texto acima, o termo Nefesh foi traduzido por TODOS, daí a necessidade de analisarmos o texto citado em todo o seu contexto, afim de verificarmos qual o significado que melhor se encaixa para o termo NEFESH e, nesse caso, de acordo com o que temos aprendido, o significado de Nefesh no referido texto é: Pessoas.
 
Vejam, que o texto narra os acontecimentos que se sucederam com a tomada do território de Hazor, que ficava em Canaã, por Yahushua( corrompido para Josué). Com essa conquista todas as NEFESH (PESSOAS), que alí habitavam, foram mortas ao fio da espada, dentre elas, o seu rei, de modo que nada restou do que tinha fôlego.
 
Assim sendo, cremos que a forma correta do texto citado seja: " E as PESSOAS que nela estavam, feriram ao fio da espada, e totalmente as destruíram; nada restou do que tinha Nichamah, e a Hazor queimou a fogo."
 
Observem também que, na tradução feita em inglês, Nefesh foi traduzido por Almas ( Souls). 
 

Josué 11:14 E todos os despojos destas cidades, e o gado, os filhos de Yaoshorul tomaram para si; tão somente a todos os homens feriram ao fio da espada, até que os destruíram; nada do que tinha fôlego(Nichamah) deixaram com vida."

 

1Rs 17:17 E depois destas coisas sucedeu que adoeceu o filho desta mulher, dona da casa; e a sua doença se agravou muito, até que nele nenhum fôlego(Nichamah) ficou."

 

Salmo 150:6 " Tudo quanto tem fôlego(Nichamah) louve a YAH. Louvai a YAH."

 

YeshaYahu(Is) 2:22 " Deixai-vos do homem cujo fôlego(Nichamah) está nas suas narinas; pois em que se deve ele estimar?"

 

YeshaYahu(Is) 57:16 "Porque não contenderei para sempre, nem continuamente me indignarei; porque o espírito(Ruach) perante a minha face se desfaleceria, e as almas(?) que eu fiz."

 

Como podemos observar, é o Fôlego ( Nichamah), que nos vivifica, fazendo com que os componentes vitais para nossa existência, desempenhe a sua função. No momento em que nos é retirado esse Fôlego, MORREMOS! Tornamos ao pó. Deixa de haver em nós, a vitalidade! Deixa de haver em nós a percepção do que se passa a nossa volta!

Abaixo, colocamos três textos onde podemos perceber que NEFESH morre:

Lv 19:28 " Não fareis incisões no corpo por algum morto (Nefesh) e não fareis nenhuma tatuagem. Eu sou YHWH."

Observem que no texto acima, onde nos escritos hebraicos lemos Nefesh, traduziram para morto. Por que será? O mais viável seria traduzir para Alma morta, concordam? Visto que traduziram Nefesh como Alma!

 

Nm 6:6 " Todos os dias da sua consaggração para YHWH, não se aproximará de um cadáver ( Nefesh)."

Observem que no texto acima, onde nos escritos hebráicos lemos Nefesh, também traduziram para cadáver. Por que será? O mais viável seria traduzir para Alma morta, visto que traduziram Nefesh como Alma! 

 

Nm 19:13 " Quem tocar num cadáver ( Nefesh) humano e nao se purificar, contamina o tabernáculo do IÁURRU; essa pessoa (Nefesh) será eliminada de Yaoshorul; porque a água purificadora não foi aspergida sobre ele, imundo será; está nele ainda a sua imundícia."

Observem mais um exemplo no texto acima, onde nos escritos hebraicos lemos Nefesh, traduziram para cadáver humano. Ora, uma vez pois, que traduziram Nefesh por Alma, o mais coerente seria a tradução Alma humana morta! Mas, porque será que não fizeram isso?

 

Outro texto no qual Nefesh foi traduzido para cadáver, encontra-se em:

Ageu 2:13 " E disse Ageu: Se alguém que for contaminado pelo contato com o corpo morto( Temê Nefesh ), tocar nalguma destas coisas, ficará ela imunda? E os sacerdotes responderam, dizendo: Ficará imunda.

Observem o mesmo texto acima em hebraicoוַיֹּ֣אמֶר חַגַּ֔י אִם־יִגַּ֧ע טְמֵא־נֶ֛פֶשׁ בְּכָל־אֵ֖לֶּה הֲיִטְמָ֑א וַיַּעֲנ֧וּ הַכֹּהֲנִ֛ים וַיֹּאמְר֖וּ יִטְמָֽא ׃

 

Números 19:11 " Aquele que tocar o cadáver de algum homem ( bemêt lechal nefesh Adam), será imundo sete dias."

Observem o mesmo texto acima em hebraicoהַנֹּגֵ֥עַ בְּמֵ֖ת לְכָל־נֶ֣פֶשׁ אָדָ֑ם וְטָמֵ֖א שִׁבְעַ֥ת יָמִֽים ׃
 

Atentem-se para os comentários e, perguntas feitas nos textos acima citados e, reflitam no seguinte: Caso os tradutores tivessem realmente interesse de se manterem fiéis a sua tradução de NEFESH como Alma, porque então traduziram esse termo nos textos citados acima, como CADÁVER , CORPO MORTO e, PESSOA MORTA? A resposta é simples: Porque do contrário, NÃO conseguiriam explicar e, manter a teoria da imortalidade da alma que eles tanto defendem. Como poderiam diante de tais textos, afirmar que Nefesh, traduzido por Alma, morre?

E, nisso, mais uma vez percebemos que a tradução incorreta do termo Nefesh, tem feito com que muitos adotem para si conceitos greco-romanos, conceitos totalmente contraditórios do que nos é ensinado nas Escrituras.

Como podemos perceber através dos textos acima, a existência do Fôlego de vida no homem, concede a este, VIDA, tornando-o uma Nefesh Hayah (Ser Vivente)! E, na ausência deste fôlego, o homem, ou seja, a Nefesh em sua totalidade torna ao pó, do qual foi feito. Nisso, podemos resumir o seguinte: VIDA é a presença da Nichamah ( Fôlego) do Yahu no Ser Humano e, morte, a ausência deste Fôlego, o qual o faz tornar ao pó do qual foi feito. 

Cientes de que tudo o que tem Nichamah, tem vida, concluimos então que, onde não há Nichamah, a morte se faz presente. E, como temos aprendido, a Nefesh(Ser) que se tornou vivente mediante o fôlego do Yahu, morre em decorrência da herança do pecado.

Diante disso, RESUMIMOS nosso estudo da seguinte maneira: NEFESH é um conceito concreto. Infelizmente, ao ser traduzido para o grego como Alma, adotou-se para Nefesh um conceito abstrato. No Dicionário VINE, encontramos os seguintes dizeres: " o problema com o termo Alma é, que em nenhum equivalente ao termo ou, a idéia por trás dela, é representado no idioma hebraico." Pg.34

O grande problema ao traduzirem Nefesh por Alma é que, o conceito de Alma NÃO exprime o real conceito do termo expresso no pensamento hebraico, no qual NÃO está incluído a composição ou oposição dos elementos: corpo e alma, visto que estes são conceitos pautados na filosofia greco-romana.

Como procuramos mostrar ao longo desse estudo, Nefesh é um termo polissêmico, ou seja, possui significados distintos ( vida, ser, seres, pessoa(s), cadáver), daí a necessidade de sabermos em que contexto, esse termoestá inserido. Nefesh JAMAIS nos foi apresentado no Velho Testamento como algo independente, invisível e, imaterial do Ser, ao contrário! Nefesh nos é apresentado como uma totalidade do Ser criado, revela-nos unidade desse Ser com tudo que o compõe e, no momento em que o que vivifica essa Nefesh é retirada, o ser em sua totalidade torna para o pó do qual foi feito.

Portanto, fica notório que Nefesh NÃO é imortal e, sendo Alma uma tradução desse termo, também NÃO pode ser considerada imortal! E, do mesmo modo, também NÃO pode ter um significado diferente do termo  do qual provém. 

Diante disso, cremos que Nefesh/Alma é uma pessoa, a qual tem SEDE (Is 29:8; Sl 42:2); fica ABATIDA (Sl 42:5); MORRE ( Ez.18:4 ); sente AMARGURA (Jó 10:1; Jó 27:2); sente TRISTEZA(Sl 119:28); tem LEMBRANÇAS (Lm 3:20);  sente ANGÚSTIA (Sl 88:3); é castigada com JEJUM (Sl 69:10); ANSEIA por Elohim(Sl 42:1); é DESPERTADA (Sl 57:8); SUSPIRA (Sl 84:2); recebe CURA ( Sl 41:4); tem DESEJO (Is 26:9); ABENÇOA( Gn 27:4)

Como podemos perceber, não é difícil compreender e, aceitarmos que Nefesh/Alma, NÃO é algo inserido dentro do homem! Ao contrário, Nefesh/Alma é o próprio homem! É o próprio Ser criado por Yahu! E, essa Nefesh/Alma, morre.

Abaixo colocamos alguns imagens forjadas na mente do homem, afim de fazê-lo acreditar que com a morte a alma sai do corpo, como algo distinto e, independente do Ser. É esse conceito e/ou paradigma de imortalidade da Alma que precisa ser desfeito, de modo que o homem compreenda que ele não é um corpo, mas sim, um Ser (Nefesh) humano criado do pó da terra, vivificado pelo fôlego de vida, que lhe fora concedido por Yahu e, na ausência deste fôlego, o homem morre, assim como os demais seres também morrem, quando o que lhes dá vida, é retirado deles.

 

 

 

 

 

Contato

Oholyao em Queimados RJ

oholyaodeiaurrushua@gmail.com

Pesquisar no site

© 2014 Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode