Compreendendo a respeito do texto de Atos 17:23 " ao DEUS desconhecido"

 
Shalom!
 
Através desse estudo, pretendemos levantar a seguinte questão: o apóstolo Paulo, fez ou não, uso  do termo Theos/Deus em suas pregações Evangelísticas? Há quem afirme que SIM! Entretanto, há quem afirme o contrário! E, você, leitor? O que pensa a respeito desse assunto? E, no que se baseia para dar testemunho do seu ponto de vista?
 
Nós, particularmente, cremos que Paulo, como bom conhecedor da cultura grega, fez uso do termo Theos/Deus! E, com base em evidências textuais, gramaticais e, arqueológicas, daremos testemunho de nossa afirmação, na expectativa de quebrarmos tabus e, desmistificarmos conceitos, repassados de maneira errônea, a respeito de termos usados no idioma grego! 
 
Diante disso, abordarmos o texto de Atos 17:23, foi uma das formas que encontramos, de compartilhar com o leitor,  informações e/ou, conhecimento que muitos, infelizmente, não tem acesso e, nem quem os ensine! E, verdade seja dita: tal conhecimento, é fundamental para que o indivíduo seja capaz, de dar testemunho do que crê; do que afirma e, do que apregoa!
 
E, o primeiro passo a ser dado, para compreendermos a respeito do termo/palavra Deus é, antentarmo-nos para o seguinte fato: no grego, assim como em qualquer outro idioma, as palavras sofrem flexão, quer seja de gênero; número... e, no que se flexionam, no grego, temos as declinações, as quais destacamos: o Nominativo; o Genitivo; o Dativo; o Acusativo e, o Vocativo.
 
Outra informação importante a ser repassada ao leitor, antes mesmo de darmos início a abordagem do nosso estudo, é o seguinte: o apregoar das Boas Novas de Salvação aos chamados "gentios" e Yehudim(judeus) pós diáspora, deu-se através do idioma grego e, NÃO no idioma hebraico! Ter esse entendimento, é Fundamental, para NÃO sairmos por aí ,defendendo  com "unhas e dentes", a Santidade/pureza de um idioma, no caso o hebraico, em detrimento de outro, o grego!
 
Precisamos ter em mente que, o agir do Altíssimo é multiforme! E, o seu agir, em tudo o que faz e, em todo o seu propósito é bom! Portanto, não há idioma mais puro que o outro! Nem idioma melhor ou maior que o outro! O que há, são diversidades de línguas, criadas pelo próprio Altíssimo! E, foi através dessa diversidade linguística que, a Palavra do Elohim de IsraEL, ultrapassou as fronteiras de Yerushalayim! Foi essa diversidade linguística, que possibilitou as demais nações, compreenderem em seu próprio idioma, a mensagem das Boas Novas de Salvação! 
 
Assim foi na Festa de Pentecostes, conforme descrito no livro de Atos 2:1-6 ( onde toda a multidão, que alí se encontrava, cada um, em sua própria língua de nascença, ouvia, daqueles que foram cheios do Ruach HaKadosh, o que o Ruach lhes concedesse para falar). Assim também foi, através da obra Evangelística de Paulo, o qual, propagou às nações sob influência da cultura helênica ( Asia; Roma e Grécia), as Boas Novas da parte do Elohim de IsraEL.
 
Como podemos perceber, sem a diversidade linguística, como as Boas Novas chegariam até nós? Como a compreenderíamos, em nosso idioma, de modo a surtir em nossa vida, os efeitos desejados, tais como: o arrependimento das obras mortas e, os frutos desse arrependimento? E, a resposta é: sem a diversidade linguística, seria IMPOSSÍVEL!
 
Portanto, o primeiro passo para obtermos bons resultados do que apregoamos, é, fazendo-nos, entender! E, Paulo, conforme mostraremos adiante nesse estudo, soube como ninguém, fazer-se entender com maestria!
 
O ter conhecimento de causa, a respeito do que falamos é fundamental, pois faz com que, o ouvinte, sinta segurança em  nossas palavras... em nossos ensinos! Afinal, do mesmo modo que, um juiz para decretar seu juizo, baseia-se em fatos/evidências, bem como, no conhecimento dos autos contidos no processo, nossa pregação também precisa apresentar evidências do que falamos, pois são estas que, darão sustentabilidade e credibilidade ao conhecimento dos fatos por nós apregoados, de modo a gerar no ouvinte o exercício da emunah, ou seja, a confiança na mensagem apregoada!
 
 
ANALISANDO O TEXTO CONTIDO EM ATOS 17:23
 
Começaremos nossa análise, atentando-nos para o seguinte texto abaixo:
 
Atos 17:23 Porque, passando eu e vendo os vossos santuários, achei também um altar em que estava escrito: AO DEUS DESCONHECIDO. Esse, pois, que vós honrais, não o conhecendo, é o que eu vos anuncio."
 
Colocamos em destaque a frase: " AO DEUS DESCONHECIDO", para chamar a atenção de dois grupos distintos, a saber:
 
1º - dos que acreditam e afirmam que, Paulo NÃO fez uso do termo Deus para se referir ao Elohim de IsraEL, por considerarem tal termo, pagão;
 
2º - dos que acreditam e afirmam que Paulo, fez SIM, uso do termo Deus, para se referir ao Elohim de IsraEL, porque é essa palavra/termo, que eles encontram grafado na Bíblia.
 
Mas... em meio ao ponto de vista dos grupos citados acima, é preciso deixarmos bem claro, o seguinte: a emuna, não anda às cegas! O testemunho do que afirmamos, precisa vir acompanhado de evidências; precisa vir acompanhado com conhecimento de causa! Ora, o próprio Mashiach deu testemunho das palavras que proferia! Por que nós, faríamos o contrário?
 
Assim sendo, ao abordarmos o texto de Atos 17:23, fazendo dele, nosso foco de estudo, levantamos a seguinte questão: sendo Paulo, homem judeu, conhecedor da Torah e, praticante da mesma, faria ele, uso de termo blásfemo para se referir ao Elohim de IsraEL? Ir em busca dessa resposta, abre-nos um leque de conhecimento cultural, a respeito do mundo helênico!
 
E, foi através do conhecimento acerca desse universo cultural grego, que Paulo conseguiu reunir em si, as condições necessárias para estabelecer estratégias evangelísticas, nas quais estavam incluídas: o conhecimento do idioma grego; o conhecimento literário; filosófico, além da metodologia usada nos discursos gregos, como por exemplo: a Diatribe e, os jargões populares, muito comum entre os gregos.
 
Vejamos abaixo, o texto de Atos 17:23 em grego, atentando-nos para a palavra em destaque:
 

 

Observem que, a palavra em destaque Theo(ΘΕΩ), encontra-se grafada no grego, em letras maiúsculas e, flexionada na seguinte declinação: Dativo Masculino Singular. E, o que seria essa declinação no dativo? Alguém pode se perguntar! E, a resposta, de acordo com o gramático REGA Lourenço, é a seguinte: é quando um um substantivo, no grego, expressa interesse pessoal, indicando a pessoa ou coisa, em que recai o proveito ou dano de uma ação, idéia que é expressa no português mediante o objeto indireto ou pelas preposições a ou para. O caso responde à pergunta: "A que...?" ou " Para quem...?"

Assim sendo, no texto de Atos 17:23, sabemos que a palavra ΘΕΩΣ/Theos(Deus), encontra-se flexionada no dativo masculino singular, onde temos: (Theo), porque a resposta que obtemos à pergunta: " a que Deus, os atenienses, mesmo sem conhecer, prestavam-lhe honra, construindo-lhe um altar? E, a resposta é: ao Deus(Theo) desconhecido, que nesse caso, é o objeto indireto da ação.

Foi exatamente essa palavra, dentre outras declinações que a palavra Deus possui no grego, que o apóstolo Paulo usou para se referir ao Criador dos céus e da terra em meio aos helênico! E, assim fez, sem o menor constrangimento, conforme podemos observar em evidências textuais existentes (cópias no grego), como por exemplo: as Cartas por ele enviadas às seguintes Congregações:

a - Congregações localizadas na Àsia 

Em razão dos embates existentes no meio acadêmico, a respeito da autoria das Cartas de Colossenses e, Efésios, as quais são nominadas " Cartas Disputadas", afim de saber se estas, foram ou não escritas por Paulo, decidimos fazer uso apenas da Carta enviada aos Gálatas, a qual, sem sombra de dúvidas, tem sua autoria, reconhecida como sendo de Paulo. 

Vejamos o texto abaixo:

Gálatas 3:6 Assim como Abraão creu em Deus( Theo - θεω), e isso lhe foi imputado como justiça."

Atentem-se para a palavra Theo( θεω), em destaque no texto acima, a qual, Paulo fez uso em sua Carta aos Gálatas. Perguntamos: faria Paulo, uso de um termo pagão para se referir ao ETERNO, com o objetivo de se fazer entender em meio aos Gálatas? Estaria Paulo, "prevaricando" com o Nome do Altíssimo, substituindo-o por um termo, considerado por alguns, "pagão"? Com certeza, NÃO! E, sabem, por quê? Porque de acordo com as Escrituras, Paulo era um homem temente a Elohim e, como participante da seita dos fariseus, guardava e praticava os preceitos da Lei/Torah, conforme podemos observar no texto a seguir: 

Atos 21;17-24 " E, logo que chegamos a Yerushalayim, os irmãos nos receberam de muito boa vontade. E no dia seguinte, Paulo entrou conosco em casa de Tiago, e todos os anciãos vieram ali. E, havendo-os saudado, contou-lhes por miúdo o que por seu ministério Deus (ΘΕΩΣ -Theos) fizera entre os gentios. E, ouvindo-o eles, glorificaram a Deus( Theon), e disseram-lhe: Bem vês, irmão, quantos milhares de judeus há que crêem, e todos são zeladores da lei. E já acerca de ti foram informados de que ensinas todos os judeus que estão entre os gentios a apartarem-se de Moisés, dizendo que não devem circuncidar seus filhos, nem andar segundo o costume da lei. Que faremos pois? em todo o caso é necessário que a multidão se ajunte; porque terão ouvido que já és vindo. Faze, pois, isto que te dizemos: Temos quatro homens que fizeram voto. Toma estes contigo, e santifica-te com eles, e faze por eles os gastos para que rapem a cabeça, e todos ficarão sabendo que nada há daquilo de que foram informados acerca de ti, mas que também tu mesmo andas guardando a lei."

É esse mesmo Paulo, que vemos nas Escrituras dando testemunho de sua emunah monoteísta, a qual tem por base o ensino da Torah, descrito em Dt 6:4, onde lemos o seguinte: " Ouve, Israel, YHWH nosso Elohim é Echad(UM)" e, repassada aos Corintos, conforme podemos observar no texto a seguir:

1Cor 8:5-6 Porque, ainda que haja também alguns que se chamem deuses(Theoi), quer no céu quer na terra (como há muitos deuses/Theoi e muitos senhores/Kyrioi), todavia para nós há um só Deus(Theos), o Pai, de quem é tudo e para quem nós vivemos; e um só Senhor(Kyrios), Iesous Christos1, pelo qual são todas as coisas, e nós por ele."

Como podemos perceber, no idioma grego, assim como em qualquer outro idioma, as palavras sofrem flexões, sofrem declinações! No caso de Gálatas 3:6, a palavra Theos/Deus, encontra-se flexionado na declinação Dativo Masculino Singular! No texto de Corintos 8:5-6, a palavra Theos/Deus está flexionada na seguinte declinação: Nominativo Masculino Plural e, no texto de Atos 21:17-24, encontramos a palavra Theos na seguinte declinação: acusativo masculino singular.

Ter essa maturidade para reconhecer que o termo/palavra Deus, NÃO é exatamente o que alguns, defensores de uma "purificação" das Escrituras, errôneamente afirmam, é importante, para não nos deixarmos aprisionar por ensinos e/ou conceitos que, ao invés de trazer conhecimento de causa e libertação, o que trazem, nada mais é que, confusão, jugo, medo e, insegurança, no que diz respeito ao uso da palavra Deus!

 

b - Congregações localizadas na Grécia 

No que diz respeito as Cartas, enviadas às Congregação na Grécia, também há embates no meio acadêmico, para confirmar se a Carta de 2Tessalonissenses, foi ou não escrita por Paulo. Em razão disso, decidimos fazer uso apenas das seguintes Cartas: 1ª e 2ª Corintios; 1ª Tessalônica; Filipenses e, Filemon, as quais, sem sombra de dúvidas, são reconhecidas no meio acadêmico, como sendo de autoria do apóstolo Paulo.

Vejamos aos textos abaixo, atentando-nos para as palavras em destaque: 

1Tess 1:9 " Porque eles mesmos anunciam de nós qual a entrada que tivemos para convosco, e como dos ídolos vos convertestes a Deus( Theon - θεόν), para servir o Deus( Theo - θεω) vivo e verdadeiro."

 

Percebam no texto acima, de 1Tessalonicenses 1:9, que a palavra Theos, aparece 2 vezes flexionada! Na 1ª flexão,  Theos, encontra-se flexionado na declinação: Acusativo Masculino Singular, onde temos θεον( pronunciamos Theon) . E, assim ocorre, porque o substantivo( Theos), indica a pessoa( Tessalônicos),  que sofre a ação direta do verbo(converter). Nesse caso, temos o objeto direto.

Na 2ª flexão, Theos, encontra-se flexionado na declinação: Dativo Masculino Singular, onde temos: θεω( pronunciamos Deo), declinação essa que já mencionamos anteriormente.

 

1Cor 1:14 Dou graças a Deus ( Theo - θεω), porque a nenhum de vós batizei, senão a Crispo e a Gaio."

2Cor 9:15 Graças a Deus ( Theo - θεω), pois, pelo dom inefável."

Filemon 1:4 Graças dou ao meu Deus (Theo - θεω), lembrando-me sempre de ti nas minhas orações."

Filipenses 4:18 " Mas bastante tenho recebido, e tenho abundância. Cheio estou, depois que recebi de Epafrodito o que da vossa parte me foi enviado, como cheiro de suavidade e sacrifício agradável e aprazível a Deus( Theo - θεω)."

Como podemos perceber, nos textos citados acima, Paulo faz uso em suas Cartas, da palavra Theos ( Deus), para apregoar as Boas Novas de Salvação a qual, encontra-se flexionada no Dativo Masculino Singular. Compreendermos acerca dessas flexões no grego, é fundamental, para sairmos por aí, reproduzindo informações errôneas a respeito da palavra Theos( Deus).

E, o que precisa ficar bem esclarecido, a respeito das declinações,é o seguinte: o fato das palavras/termos se flexionarem, NÃO SIGNIFICA que elas perdem seu significado, ao contrário! O que muda, é a grafia e, com esta, a pronúncia, PORÉM, o significado/sentido da palavra PERMANECE; a raíz da palavra flexionada, PERMANECE!!! 

Portanto, a palavra Theos, mesmo  quando flexionada, preserva seu significado, o qual NÃO é pagão/blásfemos, como muitos, sem o devido conhecimento, afirmam! Theos é um título, usado para denotarr a um Ser Celeste; poderoso, conforme veremos mais adiante nesse estudo!

 

c - localizada em Roma

Observem com atenção, em destaque no texto abaixo, a palavra Theos na seguinte declinação: Dativo Masculino Singular, onde temos: Theo ( θεω).

 

De acordo com historiadores e, peritos no que diz respeito a análise de textos bíblicos, a Carta de Romanos tem como autor, o apóstolo Paulo e, com base nessa afirmação, o que fica claro é seguinte: as Cartas enviadas por este apóstolo, aos chamados 'gentios', foram escritas em grego e, nesse idioma, a palavra usada por Paulo e, demais discípulos de Yeshua,  para se referir ao Eterno, Soberano criador dos céus e da terra, foi Theos, juntamente com suas declinações!

Bom... agora que já analisamos as evidências textuais e, abordamos, ainda que de maneira suscinta, regras gramaticais a respeito das flexões que as palavras sofrem no grego, vejamos a seguir as evidências arqueológicas, que testificam o uso da palavra Theos pelos Yehudim(judeus) pós diáspora, ou seja, Yehudim do mundo greco-romano.

EVIDÊNCIAS ARQUEOLÓGICAS DO NOME ΘΕΩΣ (Theos) EM MEIO AO YEHUDIM PÓS DIÁSPORA:

I - Sinagoga de Delos:

Dentre as evidências e/ou, vestígios arqueológicos encontrados na Grécia, encontramos a Sinagoga de Delos, localizada na Ilha grega de nome Delos e, datada entre o Século II-I AEC(Antes da Era Comum), ou seja, 200 anos antes do nascimento do Ungido!

Vejamos nas figuras abaixo:
 

Figura 1 - vestigios arqueológicos da Sinagoga de Delos

Figura 2 - vestígio arqueológico da base de sustentação da coluna da Sinagoga de Delos

Observem atentamente a palavra em destaque na figura acima: θεω ( Theo), que nada mais é, conforme já mencionamos anteriormente, uma flexão da palavra Theos, no Dativo Masculino Singular.  

Percebam que, na base da coluna da Sinagoga de Delos, lemos a seguinte inscrição: Theo Hypsisto, cujo significado é: o Deus mais alto, que em nossa Bíblia, foi traduzido por Altíssimo.

E, nisso perguntamos: " se Deus é um termo blásfemo, como muitos afirmam, por que razão, judeus do período pós diáspora fariam uso de um termo blásfemo/pagão para se referir ao ETERNO?" E, a resposta para nossa pergunta é: Na verdade, os judeus NÃO usaram termos blásfemos para se referir ao ETERNO, mas SIM, fizeram uso de uma palavra que, no grego, traz consigo significado que se enquadra aos atributos dESTE, a saber: um Ser Celeste, um Ser Poderoso.

Afim de enriquecermos ainda mais, as evidências arqueológicas acerca da expressão Theo Hypsistos, mostraremos a seguir,  suas evidências textuais.

EVIDÊNCIAS TEXTUAIS DA PALAVRA THEO HYPSISTO

Como podemos observar nos textos que mostraremos a seguir, a expressão grega: Theo Hypsisto, cujo significado é Deus Altíssimo, é uma expressão encontrada tanto na Septuaginta, que nada mais é que, a tradução da Bíblia hebraica para o grego, sendo datada do Século III AEC a I EC, e também no chamado " Novo Testamento", que na verdade são CÓPIAS do original grego. E, qual conclusão podemos obter dessa informação? E, a resposta é: tal expressão: Deus Altíssimo, era conhecida pelos gentios e Yehudim do mundo greco-romano, antes mesmo do nascimento do Mashiach! E, foi exatamente essa palavra conhecida por esses grupos, que Paulo fez uso para se referir ao Elohim de Israel.

Vejamos os textos :

Abaixo, temos o texto de Salmos 78:35, onde lemos o seguinte: E se lembravam de que Deus(Theos - Θεος) era a sua rocha, e o Deus Altíssimo ( Theos Hypsisto - Θεος υψιστοςo seu Redentor".

Percebam que a palavra em destaque no texto de Salmos 78 é: ( Theos Hypsistos - Θεος υψιστος), onde a palavra Theos( Θεος), encontra-se flexionada na seguinte declinação, a saber: Nominativo Masculino Singular e, assim podemos afirmar, porque embora Theos seja uma palavra/substantivo neutro, de acordo com a gramática grega, substantivos terminados em ( ος), geralmente são masculinos, conforme indica o artigo masculino ( ό) que o acompanha.

A mesma explicação, pode ser concedida a palavra Hypsistos ( υψιστος), a qual tem a mesma terminação da palavra Theos, ou seja ( ος), denotando dessa forma, tratar-se de uma palavra masculina, a qual é indicada pelo artigo masculino (ό) que a antecede.

Vejamos abaixo, mais um texto, atentando-se para as palavras em destaque:

Gn 14:20,22  " 20 E bendito seja o Deus Altíssimo ( θεος ό ύψιστος), que entregou os teus inimigos nas tuas mãos. E Abrão deu-lhe o dízimo de tudo. 22 Abrão, porém, disse ao rei de Sodoma: Levantei minha mão ao Deus Altíssimo ( Θε'ον τ'ον ύψιστον), o Possuidor dos céus e da terra".

Observem que as palavras em destaque, são: 

a)  Theos ó Upsistos ( θεος ό ύψιστος = Deus o mais alto), cuja tradução, nos textos bíblicos é: Deus Altíssimo, estando o substantivo Theos,  flexionado na seguinte declinação: Nominativo Masculino Singular; 

b) Theon Ton Upsiston ( θε'ον τ'ον ύψιστον = Deus  o mais alto), cuja tradução nos textos bíblicos, também é: Deus Altíssimo, estando o substantivo neutro Theos, flexionado na seguinte declinação: Acusativo Masculino Singular.  

 

2 -  Sinagoga em Afrodisia

Após escavações, realizadas em Afrodisia, Cidade localizada na Ásia Menor, atual Turquia, arqueólogos encontraram vestígios de uma eficação judáica, datada do Século II EC( Era Comum), onde se tem duas colunas de mármore, uma de cada lado da porta.

De acordo com CROSSAN, uma das faces da coluna (face a), enumera 19 nomes do " decanato", ou liderança do projeto de construção, dos quais, 14 são nomes judáicos, 3 de prosélitos e, 2 nominados de " adoradores de Deus" ( theosebeis). A face(b), exibe uma lista de 55 nomes, sendo os primeiros, judeus e, os últimos prefaciados com a frase: " e tais são os adoradores de Deus" ( kai hosoi theosebeis), inscrição essa, considerada a mais longa inscrição judáica da antiguidade, além de indicar, a existência da estreita cooperação entre judeus(prosélitos inclusive) e, pagãos simpatizantes. É essa mesma expressão e/ou, frase  " adoradores de Deus, grafada em pedra que, que nos deparamos em textos do chamado " Novo Testamento, como por exemplo, o texto de Atos 10:2.

No site Aphrodisias Excavations, o qual é voltado para projetos de escavações arqueológicas, deparamo-nos com a seguinte afirmação, a respeito dos vestígios arqueológicos(colunas de mármore), nos quais, encontramos a expressão: adoradores de Deus:

" Notável pilar inscrito, com 2,80m de altura, lista os membros da comunidade judaica localizada em Afrodisias, no final do século IV EC.  Está inscrito em duas faces adjacentes e, ambas exibem lista de nomes , os quais referem-se a homens que pertenceram a sinagoga local, ou que doaram a ela. A lista principal na frente é divida em duas. Primeiro vem os homens que tem nome bíblicos distintos ou nomes preferidos pelos judeus, como Benjamin, Judas, José, Jaco, Samuel, Zacarias e nomes como Amantios(amor), Eusabathios(o bom sábado). Abaixo deles, uma lista com o título: E os theosebeis( adoradores de Deus , os quais são gentios que tem forte afiliação escolhida ao judaísmo, mas não são judeus, Eles tem nomes grego-romanos tradicionais, como Alexandros ou Eutychos".

 

Vejamos as evidências arqueológicas abaixo:

Figura 1 - Coluna contendo a palavra Kai hosoi Theosebeis, a qual, encontra-se em destaque e, cuja tradução é: Adoradores de Deus.

Figura 2 - onde encontramos grafao a frase: Topos Eiundeon ton hai Theosebion, cuja tradução é: Lugar de judeus e adoradores de Deus

Como podemos perceber, através das evidências apresentadas até aqui, o apóstolo Paulo e, demais discípulos do Mashiach,  fez SIM, uso da palavra grega, Deus, para se referir ao Elohim de IsraEL. Negar tal afirmação, é negar as evidências!

Assim sendo, precisamos ser sinceros em nossas afirmações: Deus não é Zeus, como muitos afirmam, pautando-se em figuras de power point; em textos fora de contexto; em achismos, senso comum, informações incompletas, distorcidas e inventadas! Demonstrando dessa forma, total falta de conhecimento acerca do idioma grego e, suas respectivas regras gramaticais, os quais, são fundamentais para a elaboração de uma análise crítica textual!

Atentarmo-nos para o contexto de um determinado assunto e/ou tema abordado, aumenta o grau de nossa percepção acerca dos fatos/evidências relacionados, ao que nos propomos analisar! E, a respeito da palavra Deus,no que temos aprendido, podemos afirmar com segurança, o seguinte:

a)  Deus NÃO é Zeus! E, com base em que, assim afirmamos? Com base no idioma grego, onde podemos observar que, enquanto a palavra Deus(Θεος)  começa com a letra Theta(Θ), a palavra Zeus(Ζευς), começa com a letra Zeta( Ζ). 

b) Deus NÃO é Dios/Dia, como muitos afirmam! E, com base em que, assim afirmamos? E, a resposta é: com base na regra gramatical do idioma grego, onde aprendemos que, as palavras Dia(Δία) e Dios (Δι'ος), são declinações da palavra Zeus e, NÃO da palavra Theos! E, mais... Dia(Δία) e Dios (Δι'ος), são inicialmente grafadas com a letra Delta( Δ) e, NÃO com a letra Theta( usada no início do nome Deus/Theos), conforme podemos observar nos textos abaixo:

A falta de conhecimento; de ensino; e, compreensão acerca do que se lê, do que nos chega aos ouvidos e, as mãos, faz com que muitos propaguem informações errôneas a respeito da palavra Deus! Mas, verdade seja dita: Paulo fez, SIM, uso desse termo para se referir ao ELohim de IsraEL, perante os chamados "gentios" da Àsia; de Roma e, da Grécia! 

E, agora? Que diremos, pois, diante desse fato? Que diremos a respeito destes, que ao terem ouvido a pregação de Paulo, deu crédito as Boas Novas de Salvação, arrependendo-se de suas obras mortas? Diremos que estes não receberam a Graça de Elohim? Diremos que o trabalho de Paulo, foi em vão e, enganoso, visto que, de acordo com as evidências textuais e arqueológicas apresentadas, este fez uso da palavra Theos/Deus? E, a resposta é: NÃÃÃÕOOOO! O correto é falarmos a verdade e, com conhecimento de causa, pois, quem preza pela verdade, anda de mãos dadas com as evidências!

E, nessa busca pelo conhecimento, temos recorrido a fontes que, auxilia-nos no aprendizado! São historiadores; arqueólogos; gramáticos, dentre outros, os quais, tornam possível, a compreensão acerca de algo que para nós, não é algo fácil de aprender e, em alguns, casos, não é fácil ter acesso! Por isso, o trabalho destes, deve ser respeitado e valorizado, pois é no esforço de cada um, que o conhecimento tem trazido luz sobre os que desejam andar na luz!

Abaixo, destacamos algumas informações obtidas através das fotes que fizemos uso; na elaboracão desse estudo:

Dcionário Strong - Verbete nº 2316, a respeito da palavra Theos (ΘΕΩΣ/Θεος), destacamos a seguinte informação: " de afinidade incerta; um deus; especialmente ( 3588) divindade suprema. Deus ou deusa, nome genérico para deidades".

TERRA, João em seu livro: O Deus dos Indo-Europeus, assim como o Dicionário Strong, também afirma que, "a etimologia da palavra grega Theos (ΘΕΩΣ/Θεος), ainda não foi esclarecida com segurança". Segundo este, as várias hipóteses, são de pouca valia para elucidar a essência do conceito grego Deus. pgª 404
 
Dicionário Lexico do Novo Testamento Grego/português, a informação que encontramos a respeito da palavra Theos( Deus) , é a seguinte: " termo geralmente usado no mundo antigo, para seres Que tem poder ou conferem benefícios que estão além da capacidade humana. Em traduções, o termo com maiúscula, refere-se a uma divindade específica e, comumente ao Deus Único de IsraEL."  pgª 97
 
Dicionário Internacional de Teologia do Novo Testamento, fornece-nos a seguinte informação acerca da palavra Theos(Deus): " ainda não foi esclarecida a etimologia da palavra grega Deus; a única coisa que está certa é que, originalmente foi um título"pgª556
 
 
Aqui terminamos nosso estudo, na expectativa de que o mesmo, venha de encontro a cada um que busca o conhecimento Escritural, de modo que, através dete seja iluminado e, liberto de ensinos errôneos! Sintam-se leves, livres para fazer uso de um termo que NÃO é blásfemo; que NÃO tem por significado Zeus e, as evidências estão aí, para confirmar nossas palavras! E, como abordamos nesse estudo, no contexto grego, a palavra usada por Paulo e, demais discipulos foi Theos! Quem afirmar o contrário, que apresente evidências do que fala, pois, o conhecimento de causa, edifica nossa emunah, mas a falta deste, mantém-nos na ignorância!
 
 
 
Bibliografia
 
Bíblia Shedd
Bíblia Hub
 
Dicionário Strong
 
GINGRICH, F.Wilbur; [revisado por Frederick W.Danker]. Dicionário Léxico do Novo Testamento Grego/português. São Paulo: Ed.Vida Nova, 1984.
 
LOTHAR, Colin Brown; [ tradução Gordon Chown]. Dicionário Internacional de Teologia do Novo Testamento. 2ª edição. São Paulo: Vida Nova, 2000.
 
REGA, Lourenço Stelio. Noções do Grego Bíblico: Gramática Fundamental. São Paulo: Editora. Vida Nova, 2004.
 
TERRA, João Evangelista Martins. O Deus dos Indo-Europeus - Zeus e a Proto-Religião dos Indo Europeus. 2ª edição. São Paulo: Edições Loyola, 2001.
 
1 Iesous ( pronunciamos: Iesus)-  forma que encontramos nas cópias dos textos do chamado Novo Testamento, para se referir ao Ungido. Essa forma está flexionada na seguinte declinação: Nominativo Masculino Singular.
 
 
 
 

 

 

 
 

Oholyao em Queimados RJ

Desenvolvido por Webnode