A Falta de Evidências, Leva a Propagação de Falsas Doutrinas.

Shalom!
 
Diante de inúmeros conceitos com os quais temos nos deparados, achamos por bem elaborarmos essa postagem afim de mostrarmos que, conceitos forjados sem evidências textuais e/ou arqueológicas e, do mesmo modo, sem o devido conhecimento linguístico; histórico; cultural a respeito do que é ensinado, contribui para a propagação de conceitos e doutrinas errôneos!
 
Precisamos ter a maturidade para compreendermos que, o fazermos uso de evidências, não significa colocarmos de lado a emunah, ao contrário! O fazermos uso de evidências, enriquece nosso conhecimento; edifica nossa emunah, além de nos mover a um relacionamento verdadeiro; seguro; de fidelidade e confiança para com o nosso Elohim!
 
Infelizmente, há os que, diante das evidências as rejeitam! E, por que assim procedem? Porque diante das evidências, não há como sustentarem seus conceitos forjados em "achismos"; em suposições e, em versículos isolados! As evidências, quando contradizem o discurso dos que a rejeitam, são vistas com "desconfiança", são chamadas de falsas e/ou sem comprovação de sua veracidade... porém, para testificarem o que é de seu interesse, os que assim procedem, recorrem a essas evidências!
 
E, nisso, a pergunta que nos vem a mente, é a seguinte: como algo visto com desconfiança; como sendo falso; pode servir de instrumento para a testificação do que se apregoa? Faz isso sentido? NÃO! Claro que não faz sentido, mas é exatamente isso que, é feito por aqueles que rejeitam as evidências! E, na falta de respaldo que garanta as suas pregações, segurança; firmeza; veraidade; falam qualquer coisa... reproduzem qualquer coisa, a começar, afirmando que, tudo é manipulação de Roma!
 
Diante desses fatos, propomo-no a mostrar ao leitor, a importância das evidências na análise do que nos chega as mãos! E, um outro ponto importante a ser mencionado é o seguinte: " as evidências NÃO podem ser usadas pela metade, visando harmonizar conceitos; teorias e; doutrinas criadas segundo nossos achismos! Não podemos, diante de evidências, separarmos dela, o que achamos ser verdadeiro, pela simples razão de corroborar com o que nos interessa, descartando as demais partes, como algo que não serve... como algo de procedência duvidosa, pelo simples fato de ir contra o que apregoamos ! Isso não é agir com verdade! Isso é agir com hipocrisia!
 
A respeito do que estamos falando nessa postagem, colocamos abaixo alguns exemplos:
 
a) Estela de Mesa - também conhecida como Pedra Moabita, por tratar-se de uma pedra em que consta registrado os feitos de Mesa, Rei de Moabe. Nessa pedra datada do Século IX AEC ( Antes da Era Comun - ou seja, 800 anos antes do nascimento do Ungido), é narrado a vitória do Rei Moabita, que após a morte do Rei Acabe, aproveitou para por fim ao período de 40 anos em que seu reino estava subjugado por IsraEl.( ler 2Reis 3:4-27) 
 
O fazermos uso dessa evidência, dá-se pela seguinte razão: a desconfiança que algumas pessoas tem com relação ao uso das palavras/termos: IsraEl; Melech. Estes afirmam que tais palavras fazem parte do hebraico moderno; o qual foi corrompido por Roma??? Como assim? Se no período em que esta foi escrita, NÃO havia o cristianismo!!!! Outros afirmam que foi corrompido pela pena dos escribas??? Com base em que fazem essa afirmação? Que prova possuem para dar credibilidade ao que afirmam? Mas o estranho disso tudo é constatar que, os que assim afirmam, fazem uso dessa Pedra Moabita, por nela estar contido o Nome YHWH!
 
E, nisso, mais uma vez, a pergunta que nos vem a mente é:  Por acaso, a pessoa encarregada para registrar a conquista do Rei Mesa, apenas registraria corretamente o Nome da "divindade" que os seus inimigos serviam? Ora, mas se assim for, não faz sentido, pois aquele que vence, faz questão de deixar registrado, sobre quem se fez vencedor! E, neste caso, Mesa se colocou como vencedor tanto sobre IsraEl, quanto sobre aquEle a quem IsraEl servia!
 
Por isso, vemos como hipocrisia retirar das evidências apenas o que nos interessa! É preciso sermos verdadeiros acerca do que usamos para a testificação do que apregoamos! Não existe "meias verdades" , logo se temos como verdadeiro o registro do Nome YHWH na Pedra Moabita, porque afirmarmos que as demais palavras contidas nessa evidência arqueológica, são corrompidas?
 
 
 
 
 
 
 
Vejamos também abaixo, a evidência da palavra Melech e IsraEl na Tel Dan, datado também do Século IX AEC:
 
 
Outro exemplo a ser citado acerca do pouco caso que fazem a respeito das Evidências textuais e arqueológicas, são os achados de Qunram! Há quem chega ao ponto de afirmar que tais achados são falsos! Que não foi comprovado sua autenticidade... dentre outras coisas! Entretanto, os mesmos que assim afirmam, recorrem a essa evidência para provar que o Nome do Altíssimo, não se perdeu! Que esse Nome consta registrado em textos antigos! Ora... sendo assim, como podem fazer uso de algo que nao dão crédito, para testificar o que creem? Porventura, nesses achados de Qunran apenas o Nome Sagrado está correto? Todas as demais palavras foram corrompidas? Faz isso sentido? 
 
Não sejamos ingênuos a ponto de buscarmos nas evidências, apenas o que nos interessa, por pensar que o que nos interessa é verdadeiro, enquanto que as demais informações contidas nessas evidências, são falsas; corrompidas pela falsa pena dos escribas, e por Roma! Misericórdia! 
 
A verdade é, que em meio a muitos que se dizem apregoar a verdade, ainda há quem insiste em substituir termos e palavras testificadas pelas evidências, por outras que NÃO CONSTAM em registro algum! Como por exemplo: encontramos nas evidências textuais e arqueológicas, a palavra Melech(Rei) para se referir a um governante de uma nação e, NÃO molkhiul como alguns erroneamente afirmam; o mesmo ocorre com a palavra IsraEl, a qual encontramos nas evidências textuais e arqueológicas, para se referir ao povo escolhido pelo Altíssimo e, NÃO Yaoshorul como muitos afirmam! O mesmo ocorre com a palavra Shalom, a qual é testificada em envidências textuais e arqueológicas, para denotar harmonia plena; uma paz plena, tanto consigo quanto com terceiros e, NÃO shuaoleym como muitos afirmam! Também NÃO encontramos nas evidências textuais e arqueológicas as palavras: Yaohushuaoleym; Ulhim; Shuaolmayao; Mehushkhay; Odmorul, oholyao ... dentre outras! 
 
Precisamos ser verdadeiros no que apregoamos e, o ser verdadeiro começa quando conhecemos acerca do que falamos! Apresentando evidências acerca do que falamos! Manifestando humildade para ouvir o que outros falam a respeito do que apregoamos ... humildade para se colocar como aprendiz nesse mundo; e como todo bom aprendiz, saber ouvir é o "pulo do gato".
 
Não sejamos meninos diante de evidências! Não sejamos afoitos em nossas afirmações! Não sejamos negligentes acerca do ensino! Sejamos verdadeiros e, sedentos pelo conhecimento, porque este nos faz enxergar o que até então não víamos e, vendo, fica mais fácil de encontrarmos a saída do que nos aprisiona!
 
Desejando conhecer outras palavras que constam em evidências textuais e arqueologicas, acessem o link: www.oholyao-em-queimados-rj.com.br/palavras-usadas-na-congregacao-do-yahu/
 
 
OBS: Caso tenha gostado de nosso estudo e, dos demais postados em nosso site, responda nossa enquete contida na Página Inicial e, desejando ser notificado a respeito das novas postagens feitas em nosso site, envia-nos seu e-mail.

Contato

Oholyao em Queimados RJ

oholyaodeiaurrushua@gmail.com

Pesquisar no site

© 2014 Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode