Yeshua e a Mulher Samaritana

 
                                            
As Escrituras nos mostram o quanto Yah(Yh) Elohim é misericordioso e, a razão de sua infinita misericórdia é o motivo pelo qual não somos consumidos.
 
Nessa postagem, iremos abordar o que do começo ao fim, as Escrituras nos revelam a respeito do Altíssimo, a saber: Yhwh é ahavah(amor) e, o ahavah opera segundo a eficácia da sua Justiça e, não segundo a emoção humana.
 
Meditando no quanto Yah(Yh) é Justo, de modo a agir com equidade para com todos, encerrando a todos debaixo do pecado, de modo que assim fazendo, viesse a usar para com todos, de sua Justiça, misericórdia, paciência, perdão e, amor é, que se torna possível compreendermos que, somente o amor é capaz de mudar toda uma situação e, uma vida inteira marcada por conflitos, mágoas, medo, insegurança, separações e, escravidão.
 
Diante disso, estaremos abordando o seguinte estudo: Yeshua e a mulher Samaritana, onde nos propomos a  mostrar que, quando o amor se manifesta, ele não vê barreiras e, não faz acepção de pessoas. Yeshua foi a testemunha fiel de que o amor de Elohim se manifestou para com todos, tanto para Yehudim, Samaritanos, Gregos, Romanos, mulheres, homens, crianças, jovens e, velhos!! Cumprindo-se dessa forma o que foi prometido a Abrahan: de sua descendência, sairia aquELE que seria luz para as nações! Fomos iluminados por essa poderosa Luz, a saber: Yeshua o Mashiach(Ungido)!
 
Observem que através da parábola dos Dez Leprosos, do Bom Samaritano, da Mulher Samaritana, a qual o Ungido pede água de beber, ESTE nos revela um ensino de grande importãncia, a saber: que havia uma inimizade entre Yehudim e Samaritanos e, do mesmo modo, uma inimizade entre o homem e Yah(Yh) Elohim e, essa inimizade, somente o amor do Yah(Yh) Elohim é capaz de desfazer! 
 
Portanto, através de uma análise contextual histórica, cultural, político-social, além de uma análise escritural, procuraremos trazer a compreensão de todos o quanto Yah(Yh) nos ama e, o quanto o seu amor ultrapassa a barreira da inimizade, afim de que todos ao experimentar a sua misericordia, possam assim como ELE, manifestar misericórdia também.
 
 
PONTO CHAVE: Yah(Yh) não faz acepção de pessoas.
 
1ª ANÁLISE - COMPREENDENDO OS MOTIVOS QUE LEVARAM A DIVISÃO DA NAÇÃO YSRAELITA
 
Para compreendermos a respeito dos Samaritanos e dos Yehudim, precisamos antes de tudo nos atentarmos para o seguinte fato: Muitos conhecem a origem do povo Yehudim, a sua história, a sua luta e, as promessas que Yah(Yh) fez a esse povo por ELE escolhido,  mas e quanto aos Samaritanos? Quem são? Que promessas eles aguardavam?
 
Diante disso, propomo-nos a apresentar nesse estudo, como se deu a formação desse povo, Samaritanos, de modo a compreendermos o que Yeshua procurou nos ensinar, quer seja por meio de parábolas, quer seja por meio de exortação, quando em seus ensinos usou como exemplo os Samaritanos.
 
 
1.1 - Compreendendo o Sincretismo Nacional
 
Nosso objetivo através desse tópico, é mostrar que antes da morte do rei Salomão, havia uma monarquia, cuja relevância se deve a dois pontos importantes: o ponto político, o qual representa a idealização da organização e, instituição da sociedade Israelita frente as nações que o cercava e; o ponto religioso, onde a ascenção da monarquia reforça a participação regular do clero sacerdotal ao redor de um santuário oficial, construido para abrigar o maior símbolo da unidade tribal: a Arca da Aliança.
 
Assim sendo, a primitiva religião doméstica, na qual cada tribo cultuava o seu Elohim em diferentes locais, dentre eles: Gilgal, Dã, Betel, Siquem e Silo, ganhava o perfil de Estado Monárquico, no qual o governo era apoiado tanto pelo Exército, quanto pelo Sacerdócio, procurando assim estabelecer uma unidade politica e religiosa.
 
Desde o início do governo de David, a instabilidade política se fez presente, como podemos constatar em sua coroação como Rei da casa de Yehudah (2Samuel 2:4), por homens de Yehudah. Seu governo só foi reconhecido tempos depois pelas demais tribos, as quais constituia YsraEl(2Samuel 5:5). 
 
Convém mencionar que antes de existir um Estado Monarquico, haviam tribos, 12 no total, as quais são  descritas no livro de Yehoshua(corrompido para Josué), nos seguintes capítulos: 13, 14, 15, 16, 17, 18, 19, 20, 20 e 21, bem como a respectiva herança, porção de terras,  que cada uma delas recebeu, lembrando que os levitas não receberam herança territorial, pois receberam de Elohim a função sacerdotal.
 
Ao contrário da instabilidade política existente no reinado de David, o governo de seu filho Salomão, foi regido pela diplomacia e estratégias que tinham por objetivo estabelecer alianças internacionais, com interesse comercial. A construção do Templo tornou ainda mais evidente o universo sócio-religioso de YsraEl, de modo a atuarem em conjunto como suporte da monarquia.
 
Com o Sincretismo, ou seja, com o processo de construção de uma identidade nacional, na qual se aglutina elementos sócio-culturais diversificados, buscou-se uma unificação política, através de um Rei, o qual representaria toda uma nação ( as doze tribos = YsraEl) e, uma unidade religiosa, na qual o local de cultuação e sacrifício seriam realizados em um só lugar e, por um sacerdote, da linhagem de Levi.
 
Como podemos perceber, com o Sincretismo, YsraEl constituído pelas doze tribos, passou a ser regido por um só representante, cujo reinado havia lançado as bases de um ideal nacionalista idealizado na unidade das 12 tribos. Segundo avaliação de Mark S.Smith em seu livro O Memorial de Deus: História, Memória e a experiencia do divino no Antigo Testamento, p.85 -  " com o novo estado de David, esta denominação [YsraEl] funcionou para unir Yehudah(Reino do Sul) e YsraEl(Reino do Norte), sob a rúbrica de Ysrael, mas essa liderança de Yehudah, tendo um Yehudi encabeçando esta política real, serviu para  exaltar Yehudah, além de ajudar a estabelecer as reivindicações políticas desta, perante YsraEl."
 
 
1.2 - Compreendendo os motivos que levaram ao Sectarismo(Cisão) entre Samaritanos e Yehudim
 
De acordo com as Escrituras, a origem do povo Samaritano está relacionada ao sincretismo nacional e religioso, decorrente da política de deportação realizada pelo governo Assírio, após a queda do Reino do Norte, em 721 antes do Messias, conforme nos é revelado no texto abaixo:
 
 2Reis 17:24-28  " O Rei da Assíria trouxe gente da Babilônia, de Cuta, de Ava, de Hamate e, de Sefarvaim e, a fez habitar nas cidades de Samaria, em lugar em que os filhos de YsraEl; tomaram posse de Samaria e, habitaram nas suas cidades. A princípio, quando começaram a habitar alí, não temeram a YHWH; então, mandou o YHWH para o meio deles leões, os quais mataram a alguns do povo. Pelo que se disse ao Rei da Assíria: As gentes que transportaste e, fizeste habitar nas cidades de Samaria, não sabem a maneira de servir o Elohim da terra, por isso, enviou ELE leões para o meio delas, os quais as mataram, porque não sabem como servir o Elohim da terra. Então o Rei da Assíria mandou dizer: levai para lá um dos sacerdotes que de lá trouxestes ; que ele vá e, lá habite e lhes ensine a maneira como de servir o Elohim da terra. Foi pois, um dos sacerdotes que haviam levado de Samaria e, habitou em Betel e lhes ensinava como deviam temer a YHWH."
 
 
A Unidade Nacional estabelecida por Davi entre as 12 tribos, chega ao fim com a morte de seu filho Salomão, de modo que o domínio se dividiu em dois reinos a saber:
 
1º)  o reino do Sul, constituído por Yehudah e Benyamin, lideradas por Roboão, filho e sucessor de Salomão;
2º) o reino do Norte, constituído pelas 10(dez) tribos, as quais se uniram sob a liderança de Jeroboão, contra o reino do Sul.
 
Podemos enumerar três pontos fundamentais nessa cisão da Unidade Nacional estabelecida entre o Reino do Sul e o Reino do Norte:
 
1º) a questão política: uma vez que em razão das 10(dez) tribos do Norte, não serem subsidiadas por uma tradição monárquica, acabaram expostas a frequenters conspirações e golpes de Estado, visto que a sucessão não obedecia a critérios sucessórios confiáveis, cf nos é revelado nos livro de 1Reis 15:27; 16:16-2 , o que acabou enfraquecendo a unidade das tribos do Norte(YsraEl), a qual era a parte mais populosa da nação.
 
Para se ter uma idéia, o reino do Norte passou por três linhagens dinásticas diferentes: Nadab, filho de Jeroboão, governou apenas 1 ano, de 910 a 909 a.M (ler 1Reis 15:25). Baasa, por sua vez, governou entre 909 a 886 a.M (1Reis 15:29; 16:7). O rei Ela, filho de Baasa, tentou suceder seu pai, mas foi assinado por um de seus oficiais, Zambri, o qual cujo governo durou apenas 7 dias (1 Reis 16:15-22), sendo sucedido por outro general, Amri, o construtor da capital de Samaria, cujo governo durou de 885-874 a.M.
 
Enquanto o reino do Norte, tropeçava na instabilidade política, o reino do Sul ( Yehudah e Benyamin), procurou manter-se fiél a política adotada por David e Salomão, conseguindo dessa forma diminuir as crises políticas e, com isso estabelecer uma estabilidade no processo sucessório por um período mais longo.
 
 
2º) a questão religiosa: no que diz respeito ao âmbito religioso, o cisma da Monarquia instituida por Daoud e, ampliada por Salomão até sua morte, não arruinou a identidade religiosa do YsraEl pré-monárquico, outrora ligada às 12(doze) tribos, embora a religião tendo Yahu como Elohim de YsraEl se mantivesse, a adoração a falsos Elohim ocorreu tanto no reino do Sul, quanto no reino do Norte, conforme nos é descrito nos livros de 1Reis 12:25-33 (descreve a respeito da idolatria de Jeroboão); 1Reis 14:22-24 ( descreve a idolatria praticada por Roboão)
 
 
3º) a questão sócio-econômica: os pesados impostos e, tributos  exigidos durante o governo de Salomão, afim de suprir a mesa do Rei, a corte e, o exército, contribuiu para aumentar ainda mais a insatisfação do reino do Norte para com o reino do Sul e, a recusa de serem governados por Roboão. Ler 1Reis 4:21-28; 1Reis 12:1-20
 
 
2ª ANÁLISE - COMPREENDENDO AS CONSEQUÊNCIAS DA DIVISÃO
 
Como podemos perceber nas escrituras, Salomão foi um homem que realizou grandes obras, as quais geraram grandes despesas, que por sinal sobrecarregavam a maior parte da população, representada pelas 10 tribos do Norte(YsraEl), através de altas taxas de impostos e tributos, além de exigir um esforço cada vez maior da mão de obra da população, afim de obter a manutenção da corte, do exército e, dos luxos desfrutados pelo rei.
 
Com a morte de Salomão, as tribos do norte, desejando ter minizado a carga que lhes tinha sido imputada no reinado de Salomão, solicitou ao seu sucessor e filho, Roboão, uma solução para suas reivindicações e, como não foram atendidos, ao contrário foram sobrecarregados em dobro, desencadeou-se uma grande insatisfação político-econômico e, social destes para com o reino do Sul.
 
Nesse período de instabilidade e insatisfação, a divisão do domínio político e economico se deu em duas partes: Reino do Sul, tendo como capital Yerushalaym e, Reino do Norte, tendo como capital Samaria.É justamente sobre essa última que iremos nos atentarmos afim darmos sequência ao propósito desse estudo, a saber: Yah(Yh) não faz acepção de pesoas. Sua alegria e deleite está na salvação do homem que, em princípio foi feito a sua imagem e semelhança.
 
Ao ser levada cativa pelos Assírios, cuja tática militar consistia em trocar populações inteiras, misturando-as e, submetendo-as ao seu poderio, deu-se em Samaria um processo de miscigenação e, um novo processo de sincretismo religioso, onde os reis que se seguiram, voltaram-se a prática da idolatria,  onde passaram a servir os falsos Elohim, andando nos estatutos das nações que Yah(Yh) lançara de diante dos filhos de YsraEl, edificando para si altos em todas as cidades, além de levantarem para si colunas e postes-ídolos em todos outeiros e, debaixo de todas as árvbores frondosas, além de fazerem para si, imagens de fundição: dois bezerros e, adorarem a Baal, deprezando dessa forma os mandamentos do Yahu, seu Elohim quando lhes ordenara para não procederem dessa forma.
 
Ao estabelecerem seu próprio santuário no monte de Garizim, os samaritanos foram excluidos das tradições religiosas centradas em Yerushalaym, capital de Yehudah.
 
Daí compreendermos a inimizade latente entre os dois reinos, pois ambos se consideram herdeiros da religião de Moshe. Quanto aos Samaritanos, de acordo Dt 18:15, onde lemos o seguinte: " YHWH teu Elohim te suscitará um profeta do meio de ti, de teus irmãos, semelhantes a mim, a ELE ouvirás." aguardavam a vinda do profeta, assim como disse a mulher samaritana a Yeshua: " eu sei que há de vir o Ungido, chamado Mashiach (Ungido); quando ELE vier, nos anunciará todas as coisas...vinde comigo e vede um homem que me disse tudo quanto tenho feito. Será este porventura, o Mashiach? " Jo.4:25; Jo.4:29
 
 
3ª ANÁLISE - COMPREENDENDO A PROMESSA RESERVADA AOS FILHOS POR ADOÇÃO
 
Nessa 3ª análise finalizamos o estudo, mostrando que daqueles em que a inimizade era algo real, foi deles que veio a gratidão pela cura da lepra! Foi a samaritana que Yahusha pediu água para beber! Foi de um samaritnao que veio o auxílio a um Yehudi, ferido por ladrões na estrada! Foi uma samaritana que se humilhou em busca da libertação de sua filha endemoniada!
 
Vejam que NINGUÉM é tão bom e, de nada tem falta, a ponto de não precisar de ajuda e, do mesmo modo, NINGUÉM é tão ruim a ponto de não necessitar de misericórdia!
 
Foi isso que Yahushua veio nos ensinar a respeito do amor de Elohim, o qual desfaz na carne a inimizade estabelecida entre Elohim e os homens e, destes para com o seu próximo, renovando-nos e, concedendo-nos no reino espiritual uma nova identidade e, uma nossa filiação.
 
Em razão disso, propopomo-nos a falarmos sobre esse texto em que é abordado a conversa entre Yahushua e a mulher samaritana, afim de mostrarmos que a Justiça, a misericórdia, a paciência, o perdão, a humildade e, o ohavah(amor), sendo este( ohav), o Maior de todos, são manifestações capazes de mudar toda uma situação e, uma vida inteira marcada por conflitos, mágoas, medo, insegurança, separações e, escravidão.
 
Assim como nos foi revelado a inimizade entre Yehudim e Samaritanos por razões já enumeradas nesse estudo, do mesmo modo, por meio do pecado, deu-se a inimizade entre Elohim e o homem. E nisso damos graças a Yah(Yh), porque mediante a perfeição do seu amor no Mashiach Yeshua, alcançou-nos, libertando-nos da idolatria, da rebeldia e, da cegueira da perdição, a qual nos impedia de enxergarmos o Único caminho capaz de nos conduzir a salvação!
 
Yeshua, apresentou-se a mulher samaritana e, esta O reconheceu! Que cada um que ler essa postagem possa reconhecer a pessoa de Yeshua como aquele que foi enviado para nos salvar, O qual foi traspassado pelas nossas transgressões e, moído pelas nossas iniquidades, de maneira que o castigo que  nos trouxe a paz estava sobre ELE e, pelas suas pisaduras fomos sarados! YeshaYahu(corrompido para Isaías) 53:5
 
E como ELE disse a mulher samaritana: " se conheceras o dom de Elohim e, quem te pede: dá-me de beber, tu lhe pedirias e, ELE te daria água viva...E todo aquele que beber da água que eu der nunca mais terá sede, ao contrário, a água que lhe der será nele uma fonte a jorrar para a vida eterna." João 4:10-14
 
 
SOMENTE O AHAVAH (AMOR) É CAPAZ DE DESFAZER TODA E QUALQUER INIMIZADE! 
 

Deixe aqui seu comentário a respeito do Estudo postado

Contato

Oholyao em Queimados RJ

oholyaodeiaurrushua@gmail.com

Pesquisar no site

© 2014 Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode