O que Tens Hagar? Não temas...

Shalom!
 
O objetivo desse texto, é mostrar ao leitor que, nem tudo que de imediato, aos nossos olhos, parece-nos perdido... parece-nos o fim, perdido está! Na verdade,é tão somente, o começo de uma nova vida... de uma nova história!
 
Quando nos deparamos com o livro de Genesis, em meio a narrativas referentes a Abraham e, do mesmo modo, as promessas de Yah Elohim feitas para este, encontramos Hagar! Uma serva egipcia que, diante da ordem de sua senhora, Sara, deitou-se com Abraham, para conceder a este um filho, IsmaEl!
 
E, nisso, com o devido cuidado de não sermos pegos no anacronismo, voltamos nossa atenção ao que diz respeito a condição social de SERVA! 
 
Analisando as Escrituras em hebraico, deparamo-nos com a palavra: שפחתי(Siphati, cuja tradução é: minha serva), usada por Sara para se referir a Hagar. Essa palavra, Siphati, é  oriunda de Siphah, cuja raíz tem dentre seus significados: escrava; pessoa destinada para atividades domésticas!
 
Com base nessa informação, podemos supor que, Hagar foi comprada por Abraham, no período em que esteve no Egito e, a deu para sua esposa, afim de ajudá-la nos afazeres de casa! Provavelmente, o fato de Hagar ser uma serva pessoal, tenha gerado em Sara um laço de afinidade; de amizade e, confiança para com esta, a ponto de, entregá-la a seu esposo, para conceder a este, a continuidade de sua descendência! Era como se Sara estivesse entregando, muito mais que uma serva, ela estava entregando, alguém que por estar ao seu lado diariamente, pode ter se tornado uma ouvinte de sua realidade; de suas condições não apenas de esposa de Abraham, mas também de uma mulher que não conseguia dar a seu Adon, o que ele tanto desejava, um filho!
 
Bom... se em razão de confiança ou não, na condição de serva, o que percebemos é, que Hagar não tinha domínio sobre o próprio corpo, talvez nem mesmo sobre seus sentimentos! Não se sabe se esta amava alguém e, nutria por este alguém, o desejo de constituir uma família! Não sabemos qual foi sua reação, ao saber que além de ter que se deitar com seu Adon, um homem bem mais velho que ela, também ficaria impedida de ser esposa de outro e, o filho gerado dessa relação com seu senhor, seria tido como sendo de sua senhora, conforme podemos observar no texto abaixo:
 
Bereshit(Gn) 16:2 " E disse Sarai a Abrão: Eis que YHWH me tem impedido de dar à luz; toma, pois, a minha serva; porventura terei filhos dela. E ouviu Abrão a voz de Sarai."

Pode ser... isso é uma suposição nossa, que tal costume de fazer do filho gerado por uma serva com seu senhor, filho de sua senhora, fosse visto como algo estranho nos costumes egípcios! E, provavelmente, esse choque cultural, tenha contribuído para acirrar os ânimos entre Sarai e Hagar e, consequentemente, dificultar a aproximação e, o estabelecimento de laços afetivos entre Sarai e IsmaEl. Talvez, em razão disso, Sarai não tenha pensado duas vezes, na hora de pedir a expulsão de Hagar do arraial, que esta, levasse consigo, seu filho IsmaEl.

 
E, numa sociedade patriarcal, onde a mulher era contada juntamente com os bens de um homem, ou seja, era contada com os bens daquele, sob o qual, a mulher estava debaixo de autoridade, quer seja de seu pai; de seu esposo; de seu irmão, conforme podemos observar no texto abaixo:
 
Exodo 20: 17 " Não cobiçarás a casa do teu próximo, não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo". 

Percebam que fica claro no texto que, os bens de um homem, são suas posses, as quais não podem ser cobiçadas por terceiros! E, dentre esses bens, está sua esposa... está sua serva ...
 
Mas você leitor, deve estar se perguntando: onde deseja-se chegar com todas essas informações? O que essas coisas tem a ver com o tema desse texto? E, a resposta é simples: mostrar que, mesmo diante do improvável, o milagre pode acontecer! E, no caso de Hagar, não foi diferente!
 
O conceber de seu Adon, um filho, gerou em Hagar, um sentimento que, até então, não havia: o desdenho! O pouco caso para com sua Senhora! Afinal, ela conseguiu o que Sara, em seus longos anos de vida, não conseguiu conceber: uma herança para Abraham, conforme podemos observar no texto abaixo:
 
Bereshit(Gn) 16:5 " Então disse Sarai a Abrão: Meu agravo seja sobre ti; minha serva eu pus em teu regaço; vendo ela que concebeu, sou menosprezada aos seus olhos; YHWH julgue entre mim e ti."
 
Nessa condição, Hagar pode ter visto a chance de mudar sua história... sua condição social... não mais uma serva... mas sim, mãe do filho de seu Adon, de modo a conceder a este, a continuidade de sua descendência! 
 
Porém... como esposa, mesmo numa sociedade patriarcal, de honra e vergonha, Sara possuia direitos e, dentre estes, o de se impor sobre aqueles que, foram-lhe confiados! E, assim foi feito! Sara afligiu Hagar de tal maneira que, esta fugiu de sua face! ( Gn 16:6)
 
Quando buscamos o conceito de afligir, dentro do texto citado, percebemos que ao agir dessa forma, o que Sarai fez, foi colocar Hagar no seu devido lugar! Foi mostrar a serva quem era a "dona do pedaço", quem era quem na história; quem é que dava as ordens; enfim, Sara humilhou Hagar, fazendo-a descer da posição que acreditava ocupar, pelo fato de ter concebido de Abrão! Sara a fez lembrar que sua condição era a de serva e, não a condição de senhora!
 
Não é nosso objetivo, adentrarmos no mérito de quem está certa ou errada, até porque muito das regras sociais existentes nesse período, distingui-se dos conceitos sociais que temos nos dias de hoje e, muito menos, exercermos o papel de advogados de Hagar! Mas sim, mostrarmos as condições em que esta se encontrava, a saber: a de Serva! Uma propriedade de seu senhor! 
 
No contexto em que estava inserida, Hagar, em meio a sua aflição, recebeu da parte do mensageiro do Altíssimo, a seguinte mensagem: YHWH multiplicará sua descendência de maneira tal que, esta não poderá ser contada! Gn 16:10
 
O que nos chama a atenção nesse texto é o seguinte: NÃO estamos sozinhos em meio as aflições! Por mais que o mar esteja bravio e, pequena seja a nossa força, os olhos do Altíssimo nos contemplam e, seus ouvidos, atentos estão, para ouvir o nosso clamor! Foi assim com Hagar! Ele a conhecia... não ficou indiferente a sua aflição, a sua condição de serva, as suas privações! Do mesmo modo, o Altíssimo agi para contigo leitor! E, sabe por que? Porque ELE conhece a obra de suas mãos!
 
Não vamos esmiuçar em detalhes os conflitos descritos nas Escrituras, envolvendo Hagar e Sara, mas sim, mostrarmos que após o cumprimento da promessa feita pelo Altíssmo na vida de Abraham e Sara, o convívio entre essas duas mulheres, agravou-se, de modo que, a solução encontrada por Sara, foi exigir a expulsão de Hagar e seu filhos IsmaEl do arraial! Estes foram lançados para o deserto, para alí, após esgotarem a água que levaram consigo, morressem no deserto!
 
Quantos, assim como Hagar e seu filho, tem sido lançados para fora do meio em que vivem, por serem vistos como obstáculos, como impecilhos na vida de alguém e, ou a projetos destinados para a vida de alguém? E, nesse lançar para fora, saem com uma mão à frente e outra atrás, de modo que providos apenas com água( vida ) e, pão, consigam alimentar a esperança de sobreviverem no deserto, de sobreviverem ao abandono!
 
No último gole de água, foi-se a esperança de Hagar e, motivou o choro e, o clamor de seu filho! Foi alí, no deserto, que Yah enviou seu socorro para Hagar e seu filho IsmaEl! Foi alí, no deserto que a historia destes, tomou um novo rumo, não a que Hagar esperava obter em meio ao arraial, mas sim, a que o Altíssimo havia reservado pra ela e seu filho!
 
Por isso, elaboramos esse estudo! Para mostrar que, nem tudo que, aos nossos olhos, parece-nos ser o fim, é o fim! Na verdade, trata-se do começo de uma nova história... de uma nova vida!
 
Hagar provavelmente tenha pensado que, seu filho, por ser o primogênito, sobreporia-se ao filho gerado por Sarah! Mas a promessa da herança feita a Abraham, não viria da Serva, mas sim da esposa... viria do milagre... do inesperado... daquela que também sentiu na pele a humilhação de não conseguir gerar em seu ventre, a descendência de seu Adon! Daí, a estes foi feito uma promessa... e, a palavra do Altíssimo, a seu tempo se cumpriu! Por outro lado, à Hagar, também foi feita uma promessa e, esta a seu tempo, ao serem lançados no deserto, começou a se cumprir!
 
E, assim terminamos esse texto para meditação e, do mesmo modo que, o anjo de Altíssimo, perguntou a Hagar: "Que tens Hagar? Não temas"! Fazemos a você leitor(a), a mesma pergunta: Que tens(a) amado de Yah Elohim? Não temas!
 
 
Obs.: Gostou desse texto? Curta nossa página, compartilhe, comente...divulgue o que pra você, é edificante! Aproveita e, responda a enquete que elaboramos em nossa página principal e, desejando ser notificado sobre novas postagens e, atualizações feitas em nosso site, envia-nos email, informando que deseja receber notificações!
Obs.: Gostou desse texto? Curta nossa página, compartilhe, comente...divulgue o que pra você, é edificante! Aproveita e, responda a enquete que elaboramos em nossa página principal e, desejando ser notificado sobre novas postagens e, atualizações feitas em nosso site, envia-nos email, informando que deseja receber notificações!.

Contato

Oholyao em Queimados RJ

estudosescriturais@gmail.com

Pesquisar no site

© 2014 Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode