COMPREENDENDO A RESPEITO DO NOME ungido

 

Em nossa postagem: Santificado Seja o Teu NOME, abordamos a respeito do NOME do CRIADOR. Mostramos como se deu a corrupção de seu NOME ao longo do tempo e, do mesmo modo mostramos nas Escrituras que o seu desejo /vontade é que o seu NOME seja manifesto entre as nações, de modo que, o conhecendo o homem ao invocá-lo seja salvo.

Quanto a pergunta que nos é feita em Prov.30:4, já sabemos que o NOME daquele que criou tudo e todas as coisas é YHWH e, pronunciamos sua forma reduzida, a saber: Yah (YH). 

Para compreender melhor a respeito do Nome Sagrado do Altíssimo, acesse o link: www.oholyao-em-queimados-rj.com.br/estudos-escriturais/compreendendo-a-respeito-do-tetragrama-sagrado/

 

Abordando a respeito do Nome do Ungido:

No período em que os emissários apregoavam o Nome do Ungido, de modo que todos quanto dessem crédito a pregação, fossem salvos, para muitos esse Nome não era "estranho", "desconhecido", ao contrário! Era um nome comum! Mas com o passar dos séculos, esse Nome passou a ser desconhecido por muitos, ora por falta de interesse em conhecê-lo; ora por acreditarem que sua pronúncia se perdeu; ora por acreditarem que sua pronuncia é a que o cristianismo apresentou a humanidade como sendo o nome do Ungido...!

E em meio a tantos nomes que nos são apresentados, destacamos os seguintes: Jesus; Iesus; Yeshua; Yausha; Yashua; Yehoshua; Yahushua; Yaohushua, a pergunta que devemos nos fazer é: qual desses nomes, é o nome do Ungido? É essa resposta que devemos buscar para nossa vida!

De acordo com as Escrituras, mais precisamente no livro de Jo 4:22, a salvação vem dos Yehudim(judeus), assim sendo, o nome do Ungido NÃO pode ser de origem grego-latina, mas sim, hebraica! Mas... infelizmente nem todos se atentam para esse fato e, partindo do princípio que a salvação vem dos Yehudim, Jesus; Iesus, já estão descartados! Resta-nos então sabermos, qual dentre os nomes hebraicos existentes por aí, tomaremos como sendo o nome do Ungido!

Diante disso, antes de começarmos a abordar essa questão, precisamos ter bem definido em nossa mente, o conceito de autoridade no reino espiritual! E, do mesmo modo, termos bem definido o que é fazer algo em nome de alguém e, o que é ter o nome de alguém sobre nós!

A má compreensão desses pontos que consideramos fundamentais, dificulta-nos na compreensão acerca do nome do Ungido, bem como do Nome do próprio Criador dos céus e da terra!

O ter o nome de alguém sobre nós, é estarmos guardados nesse nome, revestidos da autoridade desse nome, é agir na autoridade desse nome, cientes que no que fazemos, não fazemos de nós mesmos! Por exemplo: quando Moshe retornou ao Egito, ele perguntou quem o estava enviando para falar com faraó, afim de que este, libertasse o povo daquEle que O enviara! E, do mesmo modo, ser reconhecido entre os filhos de Israel, como aquele que estava revestido da autoridade do Yahu, para operar sinais e maravilhas, que testificasse o poder e a supremacia do Yahu em prol da libertação de seu povo!

Do mesmo modo, deu-se com os profetas, com os emissários e, hoje conosco, quando somos chamados para apregoar as boas novas de salvação! É essa mensagem apregoada, que NÃO provém de nós mesmos, mas sim daquele que mediante sua palavra, capacita-nos, revestindo-nos de autoridade, de modo que o falar em seu nome, resulte em milagre de salvação, em cura, em libertação, em perdão!

E, diante disso, ressaltamos o seguinte: o ter o nome de alguém sobre nós, NÃO significa ter este nome presente na grafia de nosso nome, ou de uma cidade, ou em um povo específico! O ter o nome de alguém sobre nós, significa estarmos protegidos, seguros, fortalecidos nesse nome, afim de que, na obediência para com a Pessoa desse nome, sejamos por Ele abençoados!

É claro que há quem entenda e/ou interprete o TER O NOME DE ALGUÉM SOBRE SI, como ter esse nome escrito/grafado na formação do nome da pessoa; da cidade; do povo, mas quando analisamos as Escrituras com calma e, atenção, percebemos que Não é bem isso que as Escrituras nos ensinam! O ter o nome de alguém sobre nós; é ser revestido, pela autoridade desse nome! É essa mesma autoridade que estava sobre todos aqueles que se sujeitavam a fazer a vontade do Yahu, independente de ter ou não, na composição de seus nomes, o nome do Eterno!

 

Mas..., voltando a pergunta de início: " qual o nome do Ungido"?

Já vimos que a salvação vem dos Yehudim(judeus), portanto esse nome deve ser de origem hebraica, assim sendo, vejamos então os que tem sido apresentado:

 

1 -  Yahushua:

Sabemos que o nome do Ungido é o mesmo concedido por Moshe, a Hoshea( הושע ), porém em sua forma reduzida: ישוע, a qual passou a ser de uso comum, no período pós diáspora, conforme podemos perceber em evidências textuais e arqueológicas, conforme mostramos no estudo: www.oholyao-em-queimados-rj.com.br/estudos-escriturais/yeshua-o-nome-do-ungido-de-yah-elohim/

Assim sendo, sabedores que no nome de Hoshea, cujo significado é : Salvo/ Liberto, foi inserido a partícula intensificadora iod, de modo que passou a ser chamado יהושע. Com essa mudança, o novo nome concedido a Hoshea, passou a ter o seguinte significado: Ele salvará! Ou seja, o significado de salvação contido no nome de Hoshea, passou a ser intensificado com a inserção do iod, denotando dessa forma, a eficácia suprema, absoluta e, incomparável daquEle que agirá em favor da salvação de seu povo, a saber YHWH.

Bom... o fato de encontrarmos na Tora a forma YH(YA), sozinha para se referir ao Altíssimo, e nessa forma, o yod( ' ) vir acompanhado do sinal vocálico Qamets gadol, cuja pronúncia é de A, contribui para que alguns acreditem que o Nome do Ungido, comece também com Ya, ao invés de Ye, conforme foi sinalizado pelos massoretas, vocalizaram o sinal que acompanha o iod como sendo um Sheva Simples(:), cujo som é de E. 

Outra justificativa, usada por muitos para defender o uso dessa grafia, dá-se através de uma interpretação errônea acerca da Benção Sacerdotal descrita em Números 6:22-27, onde interpretam de forma LITERAL a palavra do Altíssimo, quando ESTE afirma que, seu Nome estaria sobre os filhos de IsraEl.  Neste caso,  o que precisamos compreender é o seguinte: ter o Nome do Altíssimo sobre si, está relacionado a sua autoridade... a sua proteção... aos seus cuidados, para com aqueles que são seus!

Entretanto, outro ponto importante que estes NÃO SE ATENTAM é, que se formos levar na LITERALIDADE de que, o Nome do ETERNO YHWH, está em seu Filho... o certo então, seria grafá-lo da seguinte maneira: YHWHShua, mas não é sso que ocorre! E, sabem por que? Porque a pronúncia Yahushua, provém de YHWshua. Perceba que ao invés do Tetragrama, o que temos é o Trigrama! E, qual a justificativa que muitos dão acerca disso? Muito simples... afirmam que a letra He no final de sílaba é muda, o que NÃO É VERDADE! Essa letra tem som e, seu som é vocálico, podendo ser A ou E.

Também convém mencionarmos o seguinte: SOMENTE NO FINAL de nomes teofóricos, obtemos a pronúncia YAHU, pronúncia essa, resultante de 3(três) consoantes: YHW). No INÍCIO destes nomes, a pronúncia que obtemos é YEHO/YEHU. 

Em relação a esse fato, também é importante sabermos o seguinte: no hebraico normalmente temos palavras oxítonas e, no que diz respeito a divisão silábica, numa palavra com duas sílabas,há uma tendência de redução da primeira vogal, quando esta, encontra-se distante da vogal que é tônica.

Daí, compreendermos  o por quê, de Yhw ter por pronúncia Yahu no final de nomes teofóricos, visto que, por encontrar-se na sílaba forte, o yod vem seguido do sinal vocálico qamet. Porém, essa vogal perde força, quando se distancia da sílaba tônica( onde está a vogal da última sílaba), sendo reduzida para um sheva, cujo som é E. 

Afim de compreender melhor, a respeito desse assunto, sugerimos ao que acesse o link: www.oholyao-em-queimados-rj.com.br/estudos-escriturais/compreendendo-a-respeito-do-tetragrama-sagrado/

Há os que optam por pronunciar Yaohushua, vocalizando o qamets como sendo AO, mas como já vimos no estudo: Compreendendo o Tetragrama Sagrado, cada sinal vocálico, representa o som de apenas UMA VOGAL! Neste caso, o qamets de acordo com a gramática hebraica, pode ter som de A longo( qamet gagol) ou, som de O breve/curto(qamet qaton), mas JAMAIS o qamet terá som som de AO, pois como já dissemos, sinais vocálicos respresentam o som de APENAS UMA VOGAL e, NÃO duas! Desejando saber mais sobre esse assunto, sugerimos ao leitor que acesse o link: www.oholyao-em-queimados-rj.com.br/estudos-escriturais/n%C3%A3o-existe-ditongo-no-hebraico/

 

2 - Yeshua (ישוע): forma reduzida do nome Yehoshua(יהושע)

Sabemos que a tradução da Tora para o grego, conhecida por Septuaginta, foi feita segundo a tradição judaica, por setenta sábios Yehudim(judeus), afim de que os yehudim que estavam na diáspora(fora de Yerushalayim), mais precisamente, em Alexandria, pudessem ler os textos por eles considerados sagrados!

O distanciamento geográfico e, até mesmo cultural de muitos Yehudim que se encontravam fora de sua terra natal, dificultava o dominio destes no que tange a língua hebraica! Daí percebermos a importância dos Setenta, no trabalho de tradução dos textos contidos na Tora, para o grego, pois tal feito permitiu aos Yehudim que se encontravam em Alexandria, a leitura da Tora, no idioma que até então lhes era familiar, a saber : o grego! E, é justamente nesse ponto que queremos chegar... pois foi no período pós diáspora que, a forma plena do nome יהושע, deu lugar a forma reduzida ישוע, forma essa que, nos textos gregos, foi transliterada por : Iesous( pronunciamos Iesus). 

E, nisso, alguns podem se perguntar: " mas por que esses eruditos Yehudim assim fizeram? Qual o interesse deles em fazerem uso de uma grafia que não consta na Tora? E, a resposta que temos pra dar é a seguinte: Na Tora, encontramos a forma PLENA/COMPLETA do nome que moshe concedeu a Hoshea, a saber: יהושע, porém no período pós diáspora, a forma que encontramos para se referir a esse nome é, a Forma DEFECTIVA/REDUZIDA, a saber: ישוע, que no grego foi transliterado por Iesous ( vocalizado como Iesus) . 

Foi através dessa transliteração do hebraico para o grego que, tornou-se possível para nós, sabermos a pronúncia do nome ישוע , visto que, no grego este foi transliterado da seguinte maneira :

- o Yod (י) foi transliterado para Iota(I), o qual, no grego, tem som de "i". Esta letra foi sinalizada com a letra Eta(η), cuja vocalização no grego, tem o mesmo som do sinal vocálico Shevau(:) no hebraico, a saber: "e";

 

- o Shin (ש) foi transliterao para Sigma(σ), o qual, no grego  tem som de "s";

 

- o Vav (ו) foi transliterado para Ômicron(ο), que no grego, juntamente com a letra úpsilon/ípsilon(υ), dá o som de "u". Portanto essas duas letras juntas, formam um único som, a saber: "u";

 

- o Ain (ע) não encontrou no grego, uma letra que correspondesse a ele. A letra mais próxima, segundo estudiosos do idioma  grego, é o Alfa, porém essa letra é usada na formação de palavras femininas. Diante disso, os eruditos optaram por fazer uso da letra Sigma(ς) no final do nome do Ungido. E, assim, obteve-se  a grafia Iesous, cuja pronúncia é: Iesus.

 

Vejamos abaixo, nos textos hebraicos contidos na Tora, a grafia do nome יהושע em destaque:

Agora, observem com atenção nos textos abaixo a grafia do nome: ישוע. Essa grafia reduzida, passou a ser usada no período pós diáspora! Daí NÃO encontrarmos essa forma na Torah, nem nos livros que antecedem o período de cativeiro babilônico, tais como: Zacarias, Ageu, Juízes, Josué,. A forma DEFECTIVA/REDUZIDA, é encontrada apenas nos texto pós diáspora, dentre eles: Neemias; Esdras; e Crônicas (com exceção do texto que se encontra em 1Cr 7:27)

 

É importante frizarmos o seguinte:

a) O texto de 2Reis 23:8 embora NÃO seja do período Pós diáspora, o mesmo, retrata o período/início em que Nabucodonosor entra em Yerushalayim, levando consigo nobres, homens valentes, artífices, ferreiros, dentre outros para o cativeiro babilônico, conforme podemos observar no texto abaixo:

2Reis 23:8 " E a todos os sacerdotes trouxe das cidades de Yehuda, e profanou os altos em que os sacerdotes queimavam incenso, desde Geba até Berseba; e derrubou os altos que estavam às portas, junto à entrada da porta de יהושע(Josué), o governador da cidade, que estava à esquerda daquele que entrava pela porta da cidade."

b) O texto de ZekharYahu/ZecarYah(Zacarias), embora NÃO seja do período PÓS diáspora, ele retrata o período Exílico, mais precisamente, o período do 2º ano do Rei Dario da Persa! Daí compreendermos o porque, de encontrarmos dentre os relatos deste profetas, o nome recebido por Hoshea em sua forma PLENA יהושע, conforme podemos observar na foto abaixo:

c) Embora o livro de Crônicas seja do período PÓS diáspora, encontramos nele, um texto em que a forma completa do nome יהושע, é registrada, conforme podemos observar no texto abaixo:

1Cr 7:27 " De quem foi filho Num, de quem foi filho יהושע(Josué)."

O que queremos falar com esses apontamentos? A resposta é: nesses livros, 2Reis 23:8; Zacarias 3:6 e, 1Cr 7:27; encontramos a forma completa do nome יהושע. Portanto, sermos taxativos a ponto de afirmarmos que, somente a forma reduzida do nome do Ungido, passou a ser usada no período pós diáspora, como se fosse uma regra, a ser praticada por todos, levando ao desuso e, ao esquecimento da grafia completa, chega a ser duvidoso... pode ser que sim, pode ser que não! Uma coisa é possível percebermos nas escrituras: no período que antecede o cativeiro; bem como o período que marca o início do cativeiro babilônico, bem como no período pós exílio( como é no caso do livro de 1Cr 7:8), encontramos a forma completa, embora a forma reduzida seja encontrada em maior número, no período pós diáspora, como é possível observarmos, nos livros de Esdras e Neemias.

Mas a questão é: o que levou os que alí estavam ou, os que alí nasceram a fazerem uso da forma reduzida? NÃO sabemos ao certo! Pois em NENHUM registro, encontramos informações que nos fornecesse tal resposta! Entretanto... como já vimos no estudo em que abordamos acerca do Tetragrama Sagrado, é muito comum entre os Yehudim, fazerem uso de nomes em sua forma reduzida, como por exemplo: o nome do Altíssimo! Nas Escrituras, encontramos a forma reduzida YH(pronunciamos Yah); também encontramos a forma reduzida YHW(pronunciamos Yahu no final de nomes próprios); encontramos a grafia Yo, a qual é uma contração da forma reduzida YHW(a qual no início de nomes próprios, tem como pronúncia Yeho/Yehu).

Vejamos abaixo, alguns exemplos onde encontramos a grafia contracta Yo, da forma Yhw:

a) Yoabh( transliterado para o português, como sendo: Joabe - YHWH por Pai)) => Yehoabh; 

b) YoEl ( transliterado para o português, como sendo: Joel - YHWH é EL/poderoso) => YehoEl; 

c) Yokhebhedh ( transliterado para o português, como sendo: Joquebed - glória de YHWH) => Yehokhebhedh; 

d) Yoha( transliterado para o português, como sendo: Joá - reavivado por YHWH) => Yehoha; 

e) Yohanan( transliterado para o português, como sendo: YHWH favoreceu) => Yehohanan;

f) Yoayaqim ( transliterado para o nosso idioma, como sendo: Joaquim - YHWH estabeleceu) => Yehoayaqim

 

Como podemos observar, antes da diáspora, o nome daquele que ficou responsável por conduzir o povo de Yah Elohim, rumo a Terra Prometida, era formado por 5 consoantes( iod; hê; vav; shin; ain)! Após a diáspora a grafia desse nome passou a ser feita na forma reduzida. Daí quando traduziram os textos em hebraico, para o Grego, transliterou-se a forma REDUZIDA desse nome, de modo que no Grego, o resultado dessa tranliteração foi: Iesus! 

Outro ponto importante a ser mencionado e, que precisa ficar bem esclarecido em nossa mente, é o seguinte: em sua tradução dos textos contidos na Tora, para o Grego, os eruditos Yehudim preservaram o Tetragrama Sagrado, mas esse mesmo cuidado não foi concedido ao nome daquele que conduziu Israel rumo a Terra Prometida, nome esse, semelhante ao que foi concedido ao Ungido!

Em nossa opinião, em razão de não haver no grego uma letra que correspondesse ao Ain, melhor teria sido manter a grafia no hebraico, assim como foi feito com o nome do Altíssimo, mas... não foi essa a escolha feita pelos eruditos! 

Vejam na foto abaixo, que o Nome do Criador dos céus e, da terra (YHWH), permaneceu inalterado, nas versões gregas, durante séculos!  

Fragmento Símaco, datado entre o Sec III e IV. Nele está contido o seguinte Texto: Salmo 69:1

Foi esse cuidado para com a preservação do nome do Eterno, que não foi concedido ao nome que mais adiante, também seria concedido àquele que salvaria o homem de seus pecados!

Abaixo colocamos duas fotos, onde é possivel observarmos a variação que ocorreu na grafia do nome daquEle que se entregou a morte, para que através dELE fôssemos justificados:

Foto 1 - Codex Vaticanus:

O texto acima está escrito em grego! E, encontra-se no livro de Nm 14:38. Vejam que colocamos em destaque algumas palavras, cuja transliteração em grego é: καὶ ᾿Ιησοῦς υἱὸς Ναυη καὶ Χαλεβ. A tradução dessas palavras em destaque é: " mas Iesous(Josué), filho de Num e, Calebe."

Percebam que nas palavras em destaque, encontramos a forma nomina sacra, isto é, a forma abreviada de nomes considerados sagrados. Neste caso Iesous aparece grafado da seguinte maneira: IC, com um traço acima dessa abreviação.

 

Foto 2 - Codex Sináitico

A imagem do texto acima: Dt 3:28 " Manda, pois a IESU(Josué) e, anima-o, e fortalece-o; porque ele passará adiante deste povo, e o fará possuir a terra que verás.", foi extraída do Codex Sinaitico. 

Percebam que a palavra em destaque: IHCOY, está em letra maiúscula e, visto que, no grego a terminação OY(omicron e ýpsilon) resulta na vocalização: U, daí a pronúncia do nome em destaque é IESU, o qual está flexionado no genitivo, isto é, quando se obtém a resposta para a seguinte pergunta: quem? de quem? de que? Vejam que nesse texto, quando perguntamos: quem passará adiante do povo? A quem Moshe deveria fortalecer e animar? Quem faria o povo possuir a Terra Prometida? A resposta obtida para tais perguntas é o genitivo, a saber: Josué, que no texto em grego temos: IHCOY( pronunciamos IESU).

Diante do que expomos, vemos a forma Yeshua como uma grafia reduzida do nome Yehoshua. É uma grafia errada? E, a resposta que temos para dar é: As evidências arqueológicas e, do mesmo modo, as evidências textuais antigas, demonstram que não! Agora o fazer uso ou não desse nome, vai de cada um! Nós, fazemos uso do Nome Yeshua.

 

3 - Yehoshua (יהושע): 

Não há como falarmos a respeito de Yehoshua, sem antes fazermos os seguintes apontamentos:

1º - ao contrário do que muitos apregoam, Yehoshua NÃO é resultado de Yehova+shua! 

Compreender a respeito disso, É FUNDAMENTAL! E, por que assim afirmamos? Porque a inserção das vogais de Adonay no Tetragrama, tem por objetivo, chamar a atenção do leitor para o seguinte: diante do Nome Sagrado, ele deve pronunciar Adonay e, NÃO Yehovah como muitos afirmam! 

Outro ponto importante a ser mencionado é: a leitura de Yehova, deu-se APÓS a Reforma Protestante, ou seja, por volta do século XV EC, quando os cristãos decidiram retomar o estudo do hebraico e, o que muitos não se atentam é que, o nome Yehoshua, foi transliterado para o grego em sua forma reduzida, a saber: IESOUS,  entre o século II e III AEC, ou seja beeemmmmm antes da leitura de Yehovah.

Como podemos perceber, o Nome Yehoshua antecede em mais de 1500 anos da pronúncia Yehova!!!

Assim sendo, NÃO faz sentido associarmos Yehoshua com Yehova, até porque, a criação dos sinais massoréticos, deu-se por volta do século V ECe, seu término por volta do século IX EC, o que corrobora com o que estamos falando.

 

2º - Yehosuhua É o resultado da inserção da partícula intensificadora (iod), no nome Hoshea!

Infelizmente, nem todos se atentam para esse fato e, por assim não se atentarem que, após o nome do filho de Nun, Hoshea, ter sido mudado por Moshe, passou a ser grafado nas escrituras da seguinte forma: Yehoshua, como podemos observar no texto abaixo:

Nm 13:16 " Estes são os nomes dos homens que Moshe enviou a espiar aquela terra; e a Hoshea( corrompido para Oséias), filho de Num, Moshe chamou Yehoshua( corrompido para Josué)."

A respeito dessa mudança de nome podemos pontuar o seguinte:

a) antes da inserção da particula intensificadora iod, o que tínhamos era o nome HOshea, onde o vav( ו ), acompanhado por um Rolem acima dele( וֹ ) tem som de O e, o shin( ש) vinha acompanhado de um segol( ..), cujo som vocálico corresponde a vogal E, nisso a pronúncia que obtemos é: She. Após a inserção da particula intensificadora(iod), o vav manteve seu som de O, mas o shin que outrora vinha acompanhado de um segol, passou a vir acompanhado do sinal vocálico quibuts, cujo som é de U, de modo que a pronúncia obtida passou a ser: Shu.

Mas, o que alguns podem se perguntar é: mas a inserção da partícula Yod, causou toda essa mudaça? E, a resposta é: Sim! Precisamos ter em mente que no hebraico, como também em nosso idioma, as palavras sofrem flexões, quando inserimos ou retiramos uma letra! Vejamos esse exemplo: cansei; cansado; cançasso. Percebam que o verbo cansar, se flexionou, sem perdeR o seu significado. O mesmo ocorreu com o nome Yehoshua, que tem em sua raiz, o significado de salvação/socorro!

Vejamos a figura abaixo:

Um outro exemplo de mudança que ocorre em nomes hebraicos, quando estes recebem algum "aditivo", é o nome NATAN, que no hebraico tem por significado, presente. Mas quando este vem acompanhado do trigrama(YHW), ou digrama(YH), formando assim um nome composto, este deixa de ser pronunciado Natan e, passa a ser pronunciado NetanYahuYahu; NetanYah, cujo significado é: presente do Altíssimo, conforme podemos observar nas Escrituras e, também nos dias atuais, como é no caso do primeiro ministro de Israel: Benyamin NetanYahu.

 

Como é possível observarmos, Yehoshua nada mais é que, o resultado da inserção da partícula intensificadora iod( י) no nome de Hoshea. Percebam que essa particula intensificou não apenas o significado desse nome, mas também mudou a forma como ele passou a ser pronunciado, de modo que ao invés de lermos Yehoshea, a forma que esse nome passou a ser pronunciado é: Yehoshua!

Vejamos abaixo, o nome do Primeiro Ministro de Israel, Benyamin NetanYahu:

Foto 1 - extraída do site oficial de Benyamin Netanyahu:

Mas... o que procuramos mostrar nesse estudo é que, precisamos compreender a respeito dos nomes que nos são apresentados como sendo o nome do Ungido! Esclarecer pontos que para muitos é desconhecido! E corrigir pontos que nos foram repassados de maneira incorreta!

Assim sendo, esperamos ter conseguido nosso intento através desse estudo.

Yeshua Vive e, Reina!

 

Contato

Oholyao em Queimados RJ

oholyaodeiaurrushua@gmail.com

Pesquisar no site

© 2014 Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode